Desencadeamento de hiperinsuflação pulmonar dinâmica medida pela capacidade inspiratória durante a realização de teste incremental para membros superiores e inferiores em pacientes com DPOC

Desencadeamento de hiperinsuflação pulmonar dinâmica medida pela capacidade inspiratória durante a realização de teste incremental para membros superiores e inferiores em pacientes com DPOC

Título alternativo Triggering of dynamic pulmonary hyperinsuflation by means of inspiratory capacity during incremental test for upper and lower limbs in patients with COPD
Autor Porto, Elias Ferreira Autor UNIFESP Google Scholar
Orientador Jardim, José Roberto Autor UNIFESP Google Scholar
Resumo Introdução; A doença pulmonar obstrutiva crônica está relacionada à redução da tolerância ao exercício, sendo a sensação de dispnéia o principal fator que leva à limitação. Vários estudos têm correlacionado a dispnéia com a hiperinsuflação pulmonar dinâmica que pode ocorrer em indivíduos com doenças obstrutivas do fluxo aéreo ao realizarem atividades físicas com os membros inferiores. No entanto não existem estudos que avaliam a HD após realização de exercícios com MMSS. Objetivo; Quantificar a hiperinsuflação pulmonar dinâmica em indivíduos com DPOC após realizarem atividades físicas com membros superiores e inferiores. Verificar se o uso de medicação broncodilatadora é capaz de evitar o surgimento de hiperinsuflação. Material e métodos; A capacidade inspiratória foi avaliada em 16 indivíduos com DPOC moderado a grave (VEF1 13 a 55 por cento do previsto), com capacidade inspiratória de 76,4 por cento do previsto, antes e após a realização de exercício com os membros superiores com movimentos em diagonal sem e com broncodilatador. Também foi analisada a capacidade inspiratória pós-exercício com MMII. Resultados; A perda da capacidade inspiratória foi maior nas atividades com MMSS 2222:.158 ml do que MMII 148 2:.161ml na mesma carga metabólica (p >0,05); houve aumento da capacidade inspiratória com uso de BD 220ml (0,0012); não ocorreu perda de capacidade inspiratória pós-exercício com MMSS pós o uso de BD (p > 0,05 ); 60 por cento dos pacientes hiperinsuflaram com a realização do exercício de MMSS, estes apresentavam menor VEF1/CVF (0,0067) VEF1 (0,0091), CI por cento previsto (0,043), e maior V02/ml/Kg/min (0,050), freqüência respiratória (0,023) e ventilação pulmonar (0,009) em relação ao que não hiperinsuflaram. Houve correlação r = 0,82 entre o delta da ventilação pulmonar e o delta da capacidade inspiratória. O não uso de BD previamente ao realizar atividade física aumenta o risco para hiperinsuflação 5,0 (IC 1,09 a 22,8). Conclusão; Ocorre hiperinsuflação em indivíduos com DPOC após realizarem atividade física com os MMSS, O uso de broncodilatador beta agonista diminui a hiperinsuflação estática e protege da hiperinsuflação pulmonar dinâmica, Os pacientes mais propensos a hiperinsuflarem durante a realização de exercícios com os membros superiores e inferiores são: os com maior grau de obstrução e menor capacidade inspiratória,.
Palavra-chave Doença pulmonar obstrutiva crônica
Reabilitação
Dispneia
Idioma Português
Data de publicação 2005
Publicado em São Paulo: [s.n.], 2005. 91 p.
Publicador Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 91 p.
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Dissertação de mestrado
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/20908

Exibir registro completo




Arquivo

Arquivo Tamanho Formato Visualização

Não existem arquivos associados a este item.

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta