Ácido acetilsalicílico associado ao cálcio na prevenção da pré-eclâmpsia em gestantes hipertensas crônicas selecionadas pela dopplervelocimetria das artérias uterinas

Ácido acetilsalicílico associado ao cálcio na prevenção da pré-eclâmpsia em gestantes hipertensas crônicas selecionadas pela dopplervelocimetria das artérias uterinas

Título alternativo Low dose aspirin associated calcium to prevent pre-eclampsia in chronic hypertrension women with abnormal uterine doppler
Autor Souza, Eder Viana de Autor UNIFESP Google Scholar
Orientador Sass, Nelson Autor UNIFESP Google Scholar
Resumo Objetivo: estudar a efetividade da associação de baixas doses de ácido acetilsalicílico e suplementação dietética de Cálcio na prevenção da pré-eclâmpsia, em gestantes hipertensas crônicas, selecionadas através da Dopplervelocimetria das artérias uterinas. Associadamente analisamos a efetividade do Doppler das artérias uterinas na predição da pré-eclâmpsia. Métodos: o modelo utilizado foi aleatório, controlado e duplo cego. 93 gestantes foram submetidas a dopplervelocimetria das artérias uterinas entre a 208 e 288 semanas de gestação. As pacientes que apresentaram índice de resistência elevado e/ou incisura protodiastólica foram definidas como portadoras de Doppler e alocadas aleatoriamente no grupo placebo (Grupo II) ou grupo tratado (Grupo III ). As gestantes que apresentaram Dopplervelocimetria normal das artérias uterinas não receberam nenhuma medicação (Grupo I). Das gestantes estudadas, 42 gestantes (46,1 por cento) apresentaram Doppler normal (Grupo I), 49 (53,9 por cento) gestantes apresentavam Doppler anormal e foram distribuídas aleatoriamente entre os grupos II e III. O grupo II ficou constituído por 26 gestantes (28,5 por cento) que receberam drágeas e pacotes contendo amido. Para grupo III, composto por 23 gestantes (25,2 por cento),escolhidas aleatoriamente, foi distribuído drágeas e pacotes contendo a medicação. Resultados: a comparação entre os grupos I e li, realizada pelo "Teste Exato de Fisher", demonstrou que os grupos foram diferentes quanto a freqüência de pré-eclâmpsia (p=O,001), prematuridade (p=0,014) e restrição de crescimento intra-uterino (p=O,002). A comparação entre o grupoII (placebo) e grupo III (tratado) não demonstrou diferenças estatísticas significantes quanto a freqüência pré-eclâmpsia (p= 0,74), e prematuridade (p= 0,99). Foi observada uma redução significativa na freqüência de restrição de crescimento intra-uterino em favor do grupo 111 (p= 0,098). Quanto ao peso e a idade gestacional ao nascer não foram observadas diferenças significantes entre os três grupos estudados. Conclusões: a Dopplervelocimetria das artérias uterinas foi efetiva na predição da pré-eclampsia, crescimento intra-uterino restrito e prematuridade, de maneira significante. Nossos resultados não permitem apoiar o uso rotineiro de pequenas doses de AAS, associada à suplementação de cálcio, em gestantes hipertensas crônicas selecionadas pelo Doppler das artérias uterinas, na prevenção da pré-eclâmpsia, assim como, não diminuíram a freqüência de prematuridade ou alteraram o peso fetal e idade gestacional ao nascimento. Foi observada uma redução significante na freqüência de restrição de crescimento intra-uterino a favor da utilização da medicação.
Assunto Pré-Eclâmpsia/prevenção & controle
Aspirina
Cálcio
Fluxometria por Laser-Doppler/métodos
Pre-Eclampsia/prevention & control
Aspirin
Calcium
Laser-Doppler Flowmetry/methods
Idioma Português
Data 2005
Publicado em São Paulo: [s.n.], 2005. 68 p.
Editor Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 68 p.
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Tese de doutorado
URI http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/20814

Mostrar registro completo




Arquivos deste item

Arquivos Tamanho Formato Visualização

Não existem arquivos associados a este item.

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(s)