Glomerulopatia aguda do transplante renal: correlação do fenótipo imuno-histoquímico do exsudato inflamatório da glomerulite com o da intimite arterial da rejeição aguda vascular

Glomerulopatia aguda do transplante renal: correlação do fenótipo imuno-histoquímico do exsudato inflamatório da glomerulite com o da intimite arterial da rejeição aguda vascular

Título alternativo Acute allograft glomerulopathy: correlation between the immunophenotype of inflammatory cells in the glomerulitis and in the arterial intimitis of the acute arterial rejeition
Autor Sementilli, Angelo Autor UNIFESP Google Scholar
Orientador Franco, Marcello Fabiano Autor UNIFESP Google Scholar
Resumo A glomerulopatia aguda do transplante (GATR), inflamação glomerular nos três primeiros meses pós-transplante, é caracterizada por exsudato linfomononuclear, entumecimento e proliferação de células endoteliais e mesangiais. Sua ocorrência é relatada entre 4,3 por cento a 14 por cento dos enxertos renais. A patogenia, imunofenotipagem das células infiltrantes, eventual associação com I citomegalovírus (CMV) ou com episódios de rejeição aguda (RA), e o impacto na sobrevida do enxerto da GA TR têm sido revisadas. É freqüente a ocorrência simultânea de GA TR com rejeição aguda vascular (RA V). Porém, pode ocorrer isoladamente, o que sugere mecanismo patogenético distinto. O objetivo principal, do presente trabalho foi comparar o padrão imunofenotípico e de expressão de citocinas da GA TR versus o da intimite arterial na rejeição aguda vascular leve/moderada. Paralelamente comparamos também esta expressão entre: 1) O da GA TR e o da inflamação da rejeição aguda túbulo-intersticial (RA- TI) e 2) O da nefrite túbulo--intersticial (NTI) com o da intimite. Foram selecionados 40 casos de biópsias de rins transplantados, assim distribuídos: 10 casos sem GATR ou RAV (Grupo I - Controle), 10 casos de GATR sem RAV (Grupo II), 10 casos de GATR com RAV (Grupo III) e 10 casos de RAV sem GATR (Grupo IV). A presença de CD68 (macrófagos), CD8 (linfócitos T citotóxicos), CD4 (linfócitos T auxiliadores), CD20 (linfócitos B), Proteína S100 (células apresentadoras de antígeno), IL-4, IL-I0 e INF-y foi avaliada a sua positividade através da imuno-histoquímica e contagem das células nos glomérulos e íntima. No estudo comparativo entre a GA TR e intimite arterial, observou-se predomínio de células CD68+ na GATR e de células T CD8+ na intimite; o perfil de citocinas foi semelhante (predomínio de IL-4)o perfil do exsudato das citocinas foi o mesmo entre GATR e nefrite túbulo-intersticial da rejeição aguda. A comparação entre o exsudato da nefrite túbulo-intersticial e da intimite arterial mostrou predomínio de células CD8+ na intimite e de células CD68+ na nefrite; o perfil das citocinas foi semelhante (predomínio de IL-4). o conjunto dos resultados sugere mecanismo patogenético semelhante, com discretas diferenças seqüenciais, envolvidos na inflamação glomerular, arterial e túbulo-intersticial na rejeição aguda. Por conseguinte, os dados obtidos parecem confirmar a natureza imunológica da GATR que poderia ser incluída na classificação Banff como evidência per se de episódio de rejeição aguda.
Palavra-chave Glomerulonefrite membranosa
Citocinas
Transplante de rim
Idioma Português
Data de publicação 2005
Publicado em São Paulo: [s.n.], 2005. 113 p.
Publicador Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 113 p.
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Tese de doutorado
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/20809

Exibir registro completo




Arquivo

Arquivo Tamanho Formato Visualização

Não existem arquivos associados a este item.

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta