A adaptação psicossocial e a qualidade de vida nos pacientes com doença hematológica maligna

A adaptação psicossocial e a qualidade de vida nos pacientes com doença hematológica maligna

Título alternativo Psychosocial adaptation and quality life in the patients with hematological malignaces
Autor Santos, Fábio Roberto Munhoz dos Autor UNIFESP Google Scholar
Orientador Leite, José Roberto Autor UNIFESP Google Scholar
Resumo o presente estudo teve como objetivo investigar a prevalência de sintomas de estresse pós-traumático, de ansiedade e de depressão, em pacientes com doença hematológica maligna, assim como investigar a relação destes sintomas com dados demográficos, apoio social e fatores de qualidade de vida. Dos cento e sete pacientes que participaram do estudo, 54 tinham Linfoma Não- Hodgkin, 18 Leucemia Mielóide Aguda, 10 Leucemia Linfóide Aguda e 25 Mieloma Múltiplo. Foram colhidos dados demográficos e aplicados três instrumentos padronizados: HADS - Hospital Anxiety and Depression Scale; IES - Impact of Event Scale; EORTC QLQ-C30 - Escala de Qualidade de Vida. Como resultado foi encontrado que 13 por cento dos pacientes tinham níveis altos de pensamentos intrusivos, 20,S por cento tinham sintomas de ansiedade em níveis altos e 16,8 por cento tinham sintomas significativos de depressão. Os pacientes com Mieloma Múltiplo tinham um nível de qualidade de vida significativamente menor que os com outros diagnósticos. Nos outros fatores avaliados não houve diferenças significativas entre os grupos de diferentes diagnósticos. Os pacientes com diagnóstico recente, entre 1 a 12 meses, tinham sintomas de intrusão (IES) significativamente maiores que os diagnosticados a mais de 12 meses. Os pacientes que estavam desempregados e sem algum tipo de pensão financeira tinham níveis de estresse, ansiedade e depressão, significativamente maiores que os demais. Além disso, também o baixo apoio social se correlaciona com altos níveis de estresse, ansiedade e depressão. Estes resultados mostraram que uma parcela significativa dos pacientes necessitava de atendimento psicosocial, e sugeriram que programas de atendimentos a estes pacientes deveriam ser multidisciplinares, envolvendo aspectos sociais e psicológicos.
Palavra-chave Neoplasias
Ansiedade
Transtornos de estresse pós-traumáticos
Depressão
Apoio social
Idioma Português
Data de publicação 2005
Publicado em São Paulo: [s.n.], 2005. 56 p.
Publicador Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 56 p.
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Dissertação de mestrado
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/20807

Exibir registro completo




Arquivo

Arquivo Tamanho Formato Visualização

Não existem arquivos associados a este item.

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta