Fatores associados ao equilíbrio funcional em idosos com disfunção vestibular crônica 

Fatores associados ao equilíbrio funcional em idosos com disfunção vestibular crônica 

Título alternativo Factors associated with functional balance in elderly people with chronic vestibular disorder
Autor Gazzola, Juliana Maria Autor UNIFESP Google Scholar
Orientador Ganança, Mauricio Malavasi Autor UNIFESP Google Scholar
Resumo Objetivo: Verificar a associação entre o equilíbrio funcional, avaliado pela Berg Balance Scale (BBS) , e os dados sociodemográficos, clínico-funcionais, otoneurológicos, psicocognitivos, de qualidade de vida e equilíbrio de idosos com disfunção vestibular crônica. Método: Estudo transversal analítico de 120 pacientes com idade igualou superior a 65 anos, dos gêneros feminino ou masculino com diagnóstico de disfunção vestibular crônica. Foram realizadas análises descritivas simples e inferencionais, utilizando os testes de Mann- Whitney, de Kruskal-Wallis seguido do teste de Dunn e o Coeficiente de Correlação de Spearman (p), p<0,05. Resultados: A amostra apresentou maioria feminina (68,3 por cento), com média etária de 73,40:t5,77 anos. O número médio de doenças associadas ao quadro vestibular foi de 3,83:t1,84 e o número médio de medicamentos foi de 3,86:i:2,27. O exame vestibular evidenciou vestibulopatia periférica deficitária unilateral (29,8 por cento) e as hipóteses diagnósticas prevalentes foram labirintopatia metabólica (40,0 por cento) e vertigem posicional paroxística benigna (36,7 por cento). Para 52 (43,3 por cento) pacientes, a tontura começou há mais de 5 anos. Em relação à queda, 64 idosos (53,3 por cento) apresentaram pelo menos uma queda no último ano; desses, 35 (29,2 por cento) tiveram quedas recorrentes. Dispositivo de auxílio à marcha era utilizado por 10 por cento dos pacientes. A mediana da BBS foi de 52,00 pontos. Ocorreram associações significantes entre a pontuação total da BBS e as categorias das variáveis: faixa etária (p<0,001), número de doenças (p=0,030), transtornos mentais e comportamentais (p=0,005), doenças do sistema nervoso (p=O,OO6), doenças do aparelho circulatório (p=0,013), número de medicamentos (p=O,014), medicação para o sistema cardiovascular (p=0,002), medicação para o sistema nervoso (p<0,001), capacidade funcional (p<0,001), tontura durante a realização de exercícios (p=0,005), tontura ao andar (p<0,001), uso de dispositivo de auxílio à marcha (p<0,001), quedas recorrentes (p=0,010), tendência a quedas (p=O,OO2), diagnóstico topográfico de disfunção vestibular central (p<0,001), labirintopatias vasculares (p=0,008) e periodicidade da tontura (p=0,039). Correlações estatisticamente significantes foram encontradas entre a pontuação total da BBS e as variáveis quantitativas: idade (p= -0,354; p<0,001), número de doenças (p= -0,287; p=0,001), número de medicamentos (p= -0,274; p=0,002), capacidade funcional (p= -0,571; p
Assunto Idoso
Reabilitação
Doenças vestibulares
Tontura
Idioma Português
Data 2005
Publicado em São Paulo: [s.n.], 2005. 121 p.
Editor Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 121 p.
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Dissertação de mestrado
URI http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/20783

Mostrar registro completo




Arquivos deste item

Arquivos Tamanho Formato Visualização

Não existem arquivos associados a este item.

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(s)