Marcadores de ativação imunológica avaliados na urina de transplantados renais por citometria de fluxo e reação em cadeia da polimerase via transcriptase reversa em tempo real

Marcadores de ativação imunológica avaliados na urina de transplantados renais por citometria de fluxo e reação em cadeia da polimerase via transcriptase reversa em tempo real

Título alternativo Flow cytometry and real-time reverse transcriptase polymerase chain reaction evaluation of imune activation markers in urine of kidney transplant recipients
Autor Galante, Nelson Zocoler Autor UNIFESP Google Scholar
Orientador Pestana, Jose Osmar Medina Autor UNIFESP Google Scholar
Resumo Objetivo: Avaliar a citometria de fluxo e a reação em cadeia da polimerase via transcriptase reversa em tempo real em amostras de urina como métodos de monitorização do status de aloreatividade de receptores de transplante renal. Métodos: As expressões das moléculas CD3, CD4, CD8, HLA-DR, ICAM-1, Fas-L, CD25 e CTLA-4, determinadas por citometria de fluxo, e dos genes de Fas-L, perforina, granzima B e TGF- beta, por reação em cadeia da polimerase via transcriptase reversa em tempo real, foram avaliadas em 10 amostras de urina de pacientes com infecção do trato urinário, 13 com nefropatia crônica do enxerto, 13 com necrose tubular aguda, 13 com rejeição aguda e 11 com função renal estável do enxerto. Resultados: As amostras dos pacientes com rejeição aguda apresentaram maior número de linfócitos T, principalmente do subtipo CD8+, de células HLA-DR+, ICAM-1+ ,Fas-L+ e CD25+,quando comparadas com as amostras dos demais pacientes. O mesmo pôde ser observado quanto às expressões dos genes de Fas-L, perforina e granzima B. Após análise multivariada, a citometria de fluxo apresentou sensibilidade de 100 por cento e especificidade de 96,4 por cento e a reação em cadeia da polimerase via transcriptase reversa em tempo real, sensibilidade de 100 por cento e especificidade de 85,7 por cento, para o diagnóstico da rejeição aguda. Conclusões: Ambos os métodos são igualmente úteis para a monitorização imunológica não invasiva dos receptores de transplante renal. A citometria de fluxo deve ser considerada como uma opção confiável e de mais fácil execução para aplicação na prática clínica
Assunto Transplante de Rim
Rejeição de Enxerto
Urina
Citometria de Fluxo
Reação em Cadeia da Polimerase Via Transcriptase Reversa
Idioma Português
Data 2005
Publicado em São Paulo: [s.n.], 2005. 177 p.
Editor Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 177 p.
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Tese de doutorado
URI http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/20782

Mostrar registro completo




Arquivos deste item

Arquivos Tamanho Formato Visualização

Não existem arquivos associados a este item.

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(s)