Alterações morfológicas e angioarquiteturais do músculo pterigóideo medial de cobaias Cavia porcellus após a indução de maloclusão, empregando os métodos de macroscopia, microscopia de luz, eletrônica de transmissão, histoenzimologia e morfometria

Alterações morfológicas e angioarquiteturais do músculo pterigóideo medial de cobaias Cavia porcellus após a indução de maloclusão, empregando os métodos de macroscopia, microscopia de luz, eletrônica de transmissão, histoenzimologia e morfometria

Título alternativo Morphological and angioarchitectural alterations in guinea pigs Cavia porcellus medial pterygoid muscle after induction of maloclusion by macroscopy, light and transmission electron microscopy, histoenzimology and morphometry
Autor Bazan, Emmanuel Autor UNIFESP Google Scholar
Orientador Watanabe, Ii-Sei Autor UNIFESP Google Scholar
Resumo Com o propósito de obter dados morfológicos que favoreçam a compreensão do funcionamento do sistema estomatognático e contribuir, através de dados morfológicos, com pesquisadores que estudam a maloclusão em animais experimentais ou maloclusão geral, o trabalho teve como objetivo estudar a morfologia e a distribuição dos vasos do músculo pterigóideo medial de cobaia Cavia porcellus após indução de maloclusão, empregando os métodos de macroscopia, microscopia de luz, eletrônica de transmissão, histoenzimologia e morfometria. Foram utilizados 40 cobaias Cavia porcellus machos, desmamados, divididos em dois grandes grupos: controle e com maloclusão. Estes foram ainda divididos em 4 subgrupos de 5 animais. O primeiro subgrupo foi destinado ao estudo morfológico macroscópico biometria e angioarquitetural, o segundo subgrupo ao estudo morfológico microscópico através de corte seriado frontal, o terceiro subgrupo ao estudo da tipificação das fibras e microvascularização através da histoenzimologia e o quarto subgrupo ao estudo ultraestrutural através do microscópio eletrônico de transmissão. Sessenta dias após a maloclusão induzida por exodontia dos molares superiores esquerdos, foram analisados os músculos pterigóideo medial nos lados ipsi e contralateral. Os demais animais foram submetidos ao mesmo tipo de estresse porém sem a exodontia e serviram como controle. Macroscópicamente o músculo pterigóideo medial apresentou forma trapezoidal, cujas fibras estavam orientadas no sentido ínfero-Iátero-posterior, à partir de sua origem. As cobaias submetidas à maloclusão apresentaram assimetria muscular macroscópica, onde o músculo pterigóideo medial ipsilateral apresentou dimensões menores em relação ao contralateral. Ao microscópio de luz os músculos do grupo tratado revelaram fusos neuromusculares mais curtos e fibras em degeneração. O estudo histoenzimológico revelou, no lado ipsilateral, alterações adaptativas no tipo de fibra para as de baixa resitência à fadiga e; um aumento significante de vasos no músculo do lado contralateral. Ultraestruturalmente o músculo ipsilateral revelou mitocôndrias com forma e tamanho alterados e cristas mitocondriais reduzidas; e escassas vesículas pinocíticas ou cavéolas no citoplasma das células endoteliais.
Palavra-chave Músculos pterigóides
Má oclusão
Microscopia eletrônica
Cobaias
Idioma Português
Data de publicação 2005
Publicado em São Paulo: [s.n.], 2005. 91 p.
Publicador Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 91 p.
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Tese de doutorado
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/20767

Exibir registro completo




Arquivo

Arquivo Tamanho Formato Visualização

Não existem arquivos associados a este item.

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta