Desenvolvimento de metodologia para dosagem de ácido hialurônico e aplicação no diagnóstico e avaliação pós operatória de pacientes com carcinoma de células transicionais

Desenvolvimento de metodologia para dosagem de ácido hialurônico e aplicação no diagnóstico e avaliação pós operatória de pacientes com carcinoma de células transicionais

Título alternativo Devepopment of methodology for measurement of hyaluronic acid and appliance in the diagnosis and post-operatory evaluation in patients with transitional cell carcinoma
Autor Passerotti, Carlo Camargo Autor UNIFESP Google Scholar
Orientador Nader, Helena Bonciani Autor UNIFESP Google Scholar
Resumo Objetivo: A proposta deste estudo é desenvolver um método ultra-sensível, para dosagem de ácido hialurônico urinário e aplicar na prática clínica, no diagnóstico, avaliação do grau histológico e da presença de tumores residuais de pacientes com Carcinoma de Células Transicionais (CCT), os quais são responsáveis por 90 por cento dos tumores vesicais. Pacientes e Método: O ácido hialurônico urinário (AH) foi medido por um método sensível e específico "ELISA-LIKE" utilizando HABP ("Hyaluronic Acid Binding Protein"), proteína que interage especificamente com o ácido hialurônico, mesmo quando na presença de quantidade excessiva de outros glicosaminoglicanos (condroitim sulfato, dermatam sulfato, heparam sulfato e heparina) ou proteínas. É possível quantificar a presença do AH em concentrações de 0,2 até 500,0 μg/L. As placas foram coberta com HABP purificada de cartilagem e incubadas sucessivamente com amostras contendo soluções padrão de AH e de urina, HABP conjugada com biotina e estreptavidina marcada com európio. Após a liberação do európio da estreptavidina com solução específica, a fluorescência é medida em fluorímetro. Neste trabalho foram avaliados 355 pacientes, entre janeiro de 2002 a janeiro de 2005, e as amostras colhidas antes do procedimento endoscópico. Também foram colhidas amostras no pós-operatório, de 83 pacientes. Após os procedimentos foram detectados 163 indivíduos portadores de CCT, comprovados pelo exame histopatológico. Resultados: Esta nova técnica se mostrou bastante precisa e sensível, sendo capaz de detectar AH em quantidades mínimas como 0.2 μg/L. Este ensaio não competitivo evita pré-incubação, consome menos tempo (<5h) do que os ensaios competitivos descitos fluorimétricos (72h) ou radioativos. A acurácia da metodologia descrita pela curva ROC foi de 88 por cento. Com a regressão logística, verificou-se que aumento de 1 μg/L no AH urinário levaria a um aumento na chance do paciente portar a neoplasia em 3,9 por cento(OR). Através do valor de corte estabelecido (13,0 μg/L) verificou-se uma sensibilidade geral de 82,3 por cento, especificidade 81,2 por cento, valor preditivo positivo 78,9 por cento, valor preditivo negativo 84,2 por cento e acurácia de 81,7 por cento. Considerando o valor de corte, 76,6 por cento dos pacientes com tumor de estadio superficial seriam detectados. Entretanto, entre os indivíduos com carcinomas invasivos, a sensibilidade seria de 94,6 por cento…(au).
Palavra-chave Ácido hialurônico
Neoplasia residual
Carcinoma de células de transição
Diagnóstico
Marcadores biológicos de tumor
Idioma Português
Data de publicação 2005
Publicado em São Paulo: [s.n.], 2005. 114 p.
Publicador Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 114 p.
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Tese de doutorado
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/20746

Exibir registro completo




Arquivo

Arquivo Tamanho Formato Visualização

Não existem arquivos associados a este item.

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta