Efeitos da tela de polipropileno, implantada por inguinotomia, no funículo espermático, epidídimo e testículo de cães

Efeitos da tela de polipropileno, implantada por inguinotomia, no funículo espermático, epidídimo e testículo de cães

Título alternativo Effects of the polypropylene mesh, placed for inguinotomy, on the spermatic funiculus, epididimus, and testicle of dogs
Autor Paula, Joaquim Ferreira de Autor UNIFESP Google Scholar
Orientador Goldenberg, Alberto Autor UNIFESP Google Scholar
Instituição Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Pós-graduação Gastroenterologia - São Paulo
Resumo Com o objetivo de investigar os efeitos produzidos pela prótese de polipropileno, implantada na parede posterior do canal inguinal, 14 cães, adultos e sem raça definida, pesando entre 12 e 23 Kg, foram igualmente distribuídos em dois grupos de 07 e submetidos a inguinotomia bilateral, porém com colocação de prótese em somente um dos lados (grupo A = tela à esquerda; grupo B = tela à direita). A região contra-lateral com o mesmo tipo de dissecção e sem a colocação da prótese, serviu para comparação. Após 60 dias os animais foram reoperados pela mesma via de acesso, sendo realizada uma avaliação macroscópica bilateral concomitante, seguida da retirada dos funículos espermáticos, epidídimos e testículos para estudo histopatológico. Por meio de microscopia óptica estudou-se a presença de reação inflamatória agudo/crônica no 1/3 proximal do funículo espermático, no corpo do epidídimo e testículo. Nestas mesmas localizações mediu-se, respectivamente, os diâmetros da luz do ducto deferente, ducto do epidídimo e túbulo seminífero. Realizouse a análise morfológica quantitativa dos espermatozóides no epidídimo, e no testículo, das células intersticiais e espermatogênicas. Outros quatro animais, sem qualquer tipo de manipulação cirúrgica prévia, serviram como controle (grupo C). Macroscopicamente havia aderências acentuadas entre a tela e a parede posterior do canal inguinal, e moderada entre o funículo espermático e a tela. Nenhuma aderência foi observada no lado contra-lateral (sem tela), assim como no grupo controle. Ainda no lado com tela, três cães apresentaram uma congestão leve do plexo pampiniforme, sendo que um deles também apresentou uma hidrocele. Microscopicamente, no lado xx que foi implantada a tela, além de uma reação inflamatória do tipo corpo estranho, observou-se também uma reação inflamatória crônica no funículo espermático e ducto deferente em todos os animais. No lado contra-lateral havia uma reação inflamatória crônica em menor grau que do lado com tela em 86% dos funículos espermáticos e em 36% dos ductos deferentes. Três cães apresentaram uma reação inflamatória crônica no epidídimo do lado com tela, sendo que um deles também o apresentou do lado sem tela. Destes três cães, dois apresentaram uma redução dos espermatozóides no epidídimo, sendo que um deles também apresentou uma reação inflamatória crônica focal interessando a face interna da albugínea e um outro, redução acentuada da espermatogênese. No grupo controle um cão apresentou uma reação inflamatória crônica focal e um outro, um micro-abscesso no epidídimo. O cão que apresentou a reação inflamatória crônica focal no epidídimo também apresentou redução dos espermatozóides em ambos os lados. Os diâmetros médios da luz do ducto deferente, do ducto do epidídimo e do túbulo seminífero, do lado com prótese, sem prótese e grupo controle foram, respectivamente, 0,31-0,36-0,37 mm, 0,14-0,15-0,16 mm e 77- 76-78 µ. As conclusões são de que a tela provoca uma maior reação inflamatória no funículo espermático e uma redução na luz do ducto deferente de forma significante, bem como redução acentuada da espermatogênese numa minoria dos animais.

With the aim of investigating the affects produced by the prosthesis of polypropylene implanted in the back wall of the inguinal canal, 14 adult cross-bread dogs, weighing between 12 and 23 kg, were equally divided in two groups of 07 and submitted to the bilateral inguinotomy, however the placement of prosthesis in only one of the side (group A = mesh to the left; group B = mesh to the right). The contralateral region with the same type of the dissection and without the placement of the prosthesis, served for comparison. After 60 days the animals were new operated by the same initial skin incision, being carried out a bilateral macroscopic evaluation by the same time, followed by the retreated of the spermatic funiculus, epididimus and testicle for histological analysis. By means of optical microscope the presence of inflammatory reaction acute/ chronic in the 1/3 proximal of the spermatic funiculus was studied, in the body of the epididimus and testicle. In these same location, the diameters of the luminal of the deferens ductucs, epididimus ductus and seminiferous tubules was measured respectively. The quantitative morphological analysis of the spermatozoom in the epididimus, and in the testicle, of the intersticial and spermatogenic cells was achieved. Four others animals, without any type of the prior surgical manipulation, served as a control (group C). Macroscopically there were marked adhesions between the mesh and posterior wall of the inguinal canal, and moderate between the spermatic funiculus and the mesh. No adhesion was observed in contralateral side (without mesh), as well as in the control group. Still in mesh side, three dogs presented a light congestion of the plexus pampiniform, being that one of them also presented a hydrocele. Microscopically, in the side that was implanted the mesh, beyond of the an foreign body type inflammatory reaction, a chronic inflammatory reaction in the spermatic funiculus and ductus deferens in all the animals. Was also observed in contralateral side there was an inespecific chronic inflammatory reaction in lower grade that by the side with mesh in 86% of the spermatic funiculus and in 36% of the ductus deferens. Three dogs presented a chronic inflammatory reaction in the epididimus in the side with mesh, being that of them also presented in the side without mesh. Two among these three dogs, two presented a reduction of the spermatozoon in the epididimus, being that one of them also presented a focal chronic inflammatory reaction involving the internal side of the albuginea and the other, one micro-abscess in the epididimus. The dog that presented a focal chronic inflammatory reaction in the epididimus also presented an espematozoom reduction in the both side. In one of these sides mesh, there was also marked reduction of the spermatogenesis. The means diameters of the luminal of the ductus deferens, epididimus ductus and of the seminiferous tubules, of prosthesis side, without prosthesis and control group were, respectively, 0,31-0,36-0,37 mm, 0,14-0,15- 0,16 mm and 77-76-78 µ .The conclusions are that the mesh, provokes also an inflammatory reaction in the spermatic funiculus and a reduction in the light of the ductus deferens, significative, as well as accented reduction in the spermatogenesis in the minority of the animals.
Palavra-chave Hérnia Inguinal
Próteses e Implantes
Infertilidade
Idioma Português
Financiador Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES)
Data de publicação 2005
Publicado em PAULA, Joaquim Ferreira de. Efeitos da tela de polipropileno, implantada por inguinotomia, no funículo espermático, epidídimo e testículo de cães. 2005. 112 p. Dissertação (Mestrado em Ciências) - Escola Paulista de Medicina, Universidade Federal de São Paulo, São Paulo, 2005.
Publicador Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 112 p.
Direito de acesso Acesso aberto Open Access
Tipo Dissertação de mestrado
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/20479

Exibir registro completo




Arquivo

Nome: Publico-20479.pdf
Tamanho: 2.861MB
Formato: PDF
Descrição:
Abrir arquivo

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta