Ação protetora da amifostina sobre o epitélio seminífero de ratos pré-puberes tratados com doxorrubicina

Ação protetora da amifostina sobre o epitélio seminífero de ratos pré-puberes tratados com doxorrubicina

Título alternativo Amifostine (WR-2721)protector effet on the seminiferous ephitelium of the prepuberal rats treated with doxorubicin
Autor Vilela, Vanessa Vendramini Autor UNIFESP Google Scholar
Orientador Miraglia, Sandra Maria Autor UNIFESP Google Scholar
Resumo O efeito citotóxico da doxorrubicina no epitélio seminífero resulta na depleção das células germinativas, podendo provocar danos irreversíveis na fertilidade masculina) A amifostina, um tiofosfato orgânico, é eficiente citoprotetor das células normais contra a toxicidade de radiações ionizantes e da cisplatina. Este estudo teve como objetivo investigar a citoproteção da amifostina contra a toxicidade da doxorrubicina sobre os testículos. Oitenta ratos Wistar machos, com 30 de idade, foram distribuído em 4 grupos, de acordo com o tratamento recebido Doxorrubicina (D 5mg/kg de peso corpóreo); Amifostina (A - 400mg/kg de peso corpóreo); Amifostina/ Doxorrubicina (AD; a amifostina foi administrada 15 minuto antes da doxorrubicina) e Controle "Sham" (CSh - solução salina). Todo os tratamentos foram via intraperiotoneal. Os animais de cada grupo foram sacrificados em 3 idades diferentes (45, 60 e 90 dias) Os testículos foram fixados em Liquido de Bouin e processadas com parafina para que seções de 3gm fossem obtidas. As seções de testículo foram coradas pela hematoxilina e pela eosina (HE) e pelo método do Ácido Periódico e Reativo de Schiff, com contra-coloração nuclear feita pela Hematoxilina (PAS + H), para que as análise,, histomorfométricas fossem realizadas. Os animais com 90 dias foram submetidos ao espermograma e ao acasalamento, para a obtenção do índice de fertilidade. Os animais sacrificados aos 60 e aos 90 dias de idade, tratados core doxorrubicina, mostraram redução significante nas mediadas da altura do epitélio, quando comparados aos animais dos grupos tratado com amifostina e doxorrubicina, e dos grupos Controle e Amifostina, respectivas idades. O tratamento com a doxorrubicina também provocou redução da frequência de espermatogênese diferenciadas (Tipos In e B) por 100 túbulos seminíferos analisados, quando comparados ao grupo pré-tratado com amifostina, nas diferentes idades estudadas (45, 60 e 90 dias). Observou-se redução na ocorrência de espermatozóides anormais e aumento na concentração de espermatozóides/ml nos ratos do grupo 90AD, em relação aos ratos do grupo 90D. Contudo, estes valores foram opostos àqueles observados nos grupos CSh e A. Número de perdas pré-implantação foram, também, observadas nas fêmeas acasaladas com ratos do grupo 90AD. Os resultados sugerem a proteção parcial do epitélio seminífero promovida pela amifostina contra os efeitos deletérios causados pela doxorrubicina. Esta proteção foi mais conspícua nos ratos de 60 dias.
Palavra-chave Amifostina
Testículo
Doxorrubicina
Epitélio seminífero
Espermatogênese
Ratos
Amifostine
Testis
Doxorubicin
Seminiferous epithelium
Spermatogenesis
Rats
Idioma Português
Data de publicação 2004
Publicado em São Paulo: [s.n.], 2004. 83 p.
Publicador Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 83 p.
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Dissertação de mestrado
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/20303

Exibir registro completo




Arquivo

Arquivo Tamanho Formato Visualização

Não existem arquivos associados a este item.

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta