Sensibilidade cutânea do abdome após abdominoplastia

Sensibilidade cutânea do abdome após abdominoplastia

Título alternativo Sensibility of the abdomen after abdominoplasty
Autor Farah, Andréia Bufoni Autor UNIFESP Google Scholar
Orientador Nahas, Fabio Xerfan Autor UNIFESP Google Scholar
Instituição Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Pós-graduação Cirurgia Translacional – São Paulo
Resumo Objetivo: O objetivo desse estudo foi avaliar e mapear a sensibilidade do abdome após abdominoplastia.Métodos: Estudou-se a sensibilidade ao toque superficial, dor superficial, temperatura, vibração e pressão em quarenta pacientes, do sexo feminino, divididas em dois grupos de 20 pacientes cada. As pacientes do grupo controle não tinham cirurgias abdominais prévias. No grupo experimental, foram avaliadas pacientes que se submeteram a abdominoplastia. A avaliação foi realizada de 12 a 60 meses após a cirurgia, com uma média de 31.5 meses. Esses pacientes do grupo experimental foram divididos em 2 subgrupos com 10 pacientes cada, com seguimento pós-operatório curto (12 a 30 meses) e com seguimento pós-operatório longo (30 a 60 meses). Para testar a sensibilidade dividiu-se o abdome em doze regiões, sendo 9 regiões superiormente à incisão de abdominoplastia e as regiões 10, 11 e 12 inferiormente a esta. Resultados: Os resultados mostraram que houve uma diminuição estatisticamente significante na região 8 (região hipogástrica) em todas as modalidades de sensibilidade. (Teste de Fisher e teste t de Student). Pacientes do grupo experimental também apresentaram sensibilidade diminuídas a temperatura quente e fria na região 11 (região suprapúbica). A sensibilidade à pressão apresentou diminuição estatisticamente significante em todas as áreas do abdome quando comparadas com o grupo controle (teste t de Student). Quando pacientes com seguimento pós-operatório curto foram comparados com as de seguimento pós-operatório longo não houve diferença estatisticamente significante para todas as modalidades de sensibilidade nas regiões estudadas, com exceção da região 5. Nessa região as pacientes com seguimento de até 30 meses apresentavam sensibilidade diminuída a temperatura quente e fria. Conclusões: Este estudo demonstrou que há uma redução significante na sensibilidade abdominal após abdominoplastia. O déficit sensorial envolve todas as modalidades de sensibilidade, a distribuição do déficit é consistente e envolve principalmente a linha média infra-umbilical.
Assunto Abdome/cirurgia
Cirurgia Plástica/métodos
Parede Abdominal
Idioma Português
Data 2004
Publicado em FARAH, Andréia Bufoni. Sensibilidade Cutânea do Abdome após Abdominoplastia. 2004. 110 f. Dissertação (Mestrado) – Escola Paulista de Medicina, Universidade Federal de São Paulo. São Paulo, 2004.
Editor Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 91 p.
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Dissertação de mestrado
URI http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/20263

Mostrar registro completo




Arquivos deste item

Nome: Tese-8880.pdf
Tamanho: 1.119Mb
Formato: PDF
Descrição: aguardando contato 20/08/2018 - DM
Visualizar/Abrir

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(s)