Fatores associados à calcificação coronariana em indíviduos submetidos a hemodiálise crônica

Fatores associados à calcificação coronariana em indíviduos submetidos a hemodiálise crônica

Título alternativo Coronary calcification in hemodialysis patients: the contribuition of traditional and uremia related risk-factors
Autor Barreto, Daniela Veit Autor UNIFESP Google Scholar
Orientador Canziani, Maria Eugênia Fernandes Autor UNIFESP Google Scholar
Resumo Introdução: a calcificação coronariana (CAC) é freqüente na aterosclerose, presente em 90 por cento das lesões angiograficamente significativas. Há evidências recentes de que a CAC é comum nos pacientes submetidos à hemodiálise e se sugeriu que esta alta incidência esteja associada a fatores especificamente relacionados à uremia. O objetivo do presente estudo é avaliar a prevalência de CAC em indivíduos em programa de hemodiálise crônica e estabelecer a relação entre CAC e fatores de risco cardiovascular tradicionais e aqueles associados à uremia nesta população. Métodos: 101 pacientes em programa de hemodiálise foram submetidos à coleta de sangue para determinação de marcadores de inflamação, estresse oxidativo e do metabolismo ósseo. Subseqüentemente, todos realizaram uma Tomografia Coronariana Multi slice (MSCT) para avaliação de calcificação coronariana. Resultados: a mediana do escore de cálcio foi de 116.2 UA (extremos 0 - 5547). 52 por cento dos pacientes apresentaram CAC moderada ou grave e 20 por cento tiveram um escore de cálcio maior do que 1000 UA. Na análise univariada, a idade (r = 0.57, p < 0.000001), o índice de risco de Framingham (r = 0.56, p < 0.000001), a osteoprotegerina (r = 0.44, p = 0.00002) e o índice de massa corporal (r = 0.24, p = 0.01) se correlacionaram positivamente com o escore de cálcio. Houve uma tendência à correlação entre a proteína C reativa e o escore de cálcio (r = 0.18, p = 0.062). A análise de regressão linear múltipla identificou a osteoprotegerina como única variável independentemente associada à CA('. Conclusão: a CAC é altamente prevalente nos indivíduos submetidos à hemodiálise e está associada à idade avançada, obesidade e, provavelmente, inflamação. Níveis séricos mais altos de osteoprotegerina estão independentemente associados à CAC e podem representar um mecanismo de autodefesa à progressão da aterosclerose neta população.
Palavra-chave Arteriosclerose
Diálise renal
Inflamação
Idioma Português
Data de publicação 2004
Publicado em São Paulo: [s.n.], 2004. 48 p.
Publicador Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 48 p.
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Dissertação de mestrado
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/20246

Exibir registro completo




Arquivo

Arquivo Tamanho Formato Visualização

Não existem arquivos associados a este item.

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta