Caracterização de colonização e fungemias por espécies de Candida em pacientes internados em unidades de terapia intensiva

Caracterização de colonização e fungemias por espécies de Candida em pacientes internados em unidades de terapia intensiva

Título alternativo Colonization and fungemia for Candida species in intensive care units patients
Autor Rosas, Robert Fabian Crespo Autor UNIFESP Google Scholar
Orientador Colombo, Arnaldo Lopes Autor UNIFESP Google Scholar
Resumo Introdução: Pacientes internados em unidades de terapia intensiva (UTI) constituem população de risco para a ocorrência de candidemia. O objetivo deste estudo foi avaliar a dinâmica de colonização e infecção por Candida spp. Em pacientes de UTI. Casuística e métodos: Durante um período de 18 meses, realizou-se estudo de coorte prospectivo longitudinal incluindo pacientes de ambos os sexos, com idade igual ou superior a 12 anos, internados por diferentes patologias clínicas e/ou cirúrgicas na UTI por 72 horas ou mais. Todos os pacientes incluídos foram avaliados até a alta ou óbito. A colonização foi avaliada no momento da admissão e posteriormente duas vezes por semana, com coletas sistematicamente realizadas nos seguintes sítios: região anal, urina, secreção traqueal, ferida cirúrgica e pele ao redor do ponto de inserção do cateter venoso central. Pacientes com febre colheram duas amostras de hemocultura no sistema de lise-centrifugação (Isolator®). Foram obtidos dados demográficos, procedimentos médicos invasivos, uso de antibióticos e dados clínicos dos pacientes incluídos. Avaliou-se através de análise multivariada os fatores de risco para colonização e infecção da corrente sangüínea por Candida spp.. Os microrganismos isolados foram identificados por metodologia convencional. O banco de dados foi analisado no software estatístico SPSS, versão 10.0. Resultados: Avaliou-se um total de 349 pacientes, com mediana de tempo de internação de 12 dias, 60 por cento do sexo masculino, mediana de idade de 52 anos e APACHE II escore de 22 pontos. Colonização por espécies de Candida foi observada em 72,5 por cento da população estudada e os sítios mais colonizados foram: trato gastrointestinal (39,6 por cento), trato urinário (33,8 por cento) e trato respiratório (15,5 por cento). As espécies mais freqüentemente isoladas foram: C. albicans (50 por cento) e entre as não-albicans observamos a seguinte distribuição: C. rugosa (41 por cento), C. glabrata (29 por cento), C. tropicalis (12 por cento), C. parapsilosis (11,2 por cento),…(au).
Palavra-chave Distribuição espacial da população
Fungemia
Candida
Unidades de terapia intensiva
Infecção hospitalar
Idioma Português
Data de publicação 2004
Publicado em São Paulo: [s.n.], 2004. 170 p.
Publicador Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 170 p.
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Tese de doutorado
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/20228

Exibir registro completo




Arquivo

Arquivo Tamanho Formato Visualização

Não existem arquivos associados a este item.

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta