Distribuição e quantificaçãocao da elastina na lâmina própria de prega vocal humana: estudo histológico e imunohistoquímico

Distribuição e quantificaçãocao da elastina na lâmina própria de prega vocal humana: estudo histológico e imunohistoquímico

Título alternativo Distribuition and measurement od elastin at lamina propria of human vocal fold: histologic and immunohistochemical study
Autor Ramos, Hugo Valter Lisboa Autor UNIFESP Google Scholar
Orientador De Biase, Noemi Grigoletto Autor UNIFESP Google Scholar
Resumo Objetivo: O objetivo deste trabalho é o de estudar a distribuição da elastina em tos' a extensão da lâmina própria de prega vocal humana e quantificá-la de acordo com técnicas histológicas e imunohistoquímicas, utilizando método colorimétrio Método: Foram coletadas dez pregas vocais oriundas de cinco indivíduo (cadáveres) com idade entre 25 e 40 anos, gênero masculino, cor branca e com morte causada por ferimento de arma de fogo. Foram excluídos da coleta indivíduo com mais de doze horas de morte, com suspeita de terem sido submetidos intubação traqueal e também aqueles com suspeita de traumas na região cervical. As pregas vocais foram analisadas microscopicamente e foram descartadas aquele que apresentaram quaisquer alterações. Um indivíduo de 28 anos foi considerado normal e selecionado para o estudo. A prega vocal foi transversalmente seccionada em nove regiões e três cortes de cada segmento foram utilizados para a realização das colorações Verhoeff e resorcina-fuchsina de Weighert e para a realização d estudo imunohistoquímico. Realizou-se estudo histomorfométrico para comparação da intensidade das cores nas camadas superficial, intermediária e profunda d lâmina própria. Resultado: As camadas intermediária e profunda da prega vocal apresentaram valores muito superiores aos da camada superficial, nas colorações Verhoeff e resorcin-fuchsin de Weighert. A quantidade de tropoelastina identifica pelo anticorpo nas três camadas da lâmina própria não apresentou grande diferenças entre os valores da camada superficial e os da camada intermediária profunda. Conclusões: A elastina distribui-se em diferentes quantidades na pre vocal de acordo com suas camadas; a camada superficial foi a que apresentou menor quantidade de tecido elástico nos diferentes métodos, sendo que na cama intermediaria e na profunda os resultados foram semelhantes; as técnicas histológicas mostraram diferenças mais expressivas entre as camadas que imunohistoquímica.
Palavra-chave Laringe
Cordas vocais
Elastina
Idioma Português
Data de publicação 2004
Publicado em São Paulo: [s.n.], 2004. 47 p.
Publicador Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 47 p.
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Dissertação de mestrado
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/20171

Exibir registro completo




Arquivo

Arquivo Tamanho Formato Visualização

Não existem arquivos associados a este item.

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta