Correlação entre concentração liquórica e efeitos colaterais após injeção de morfina por via subaracnóidea em ratos

Correlação entre concentração liquórica e efeitos colaterais após injeção de morfina por via subaracnóidea em ratos

Título alternativo Correlation between CSF concentration and side effects after spinal morphine injection in rats
Correlación entre concentración liquórica y efectos colaterales después de inyección de morfina por vía subaracnoidea en ratones
Autor Silva, Neuzimar De Souza Freire Autor UNIFESP Google Scholar
Sakata, Rioko Kimiko Autor UNIFESP Google Scholar
Issy, Adriana Machado Autor UNIFESP Google Scholar
Instituição Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Resumo BACKGROUND AND OBJECTIVES: Spinal morphine promotes good pain relief, but is not free from side effects. This study aimed at verifying the correlation between CSF morphine concentration and side effects. METHODS: This study involved 4 groups of 7 rats, which were studied 24 hours after spinal catheter insertion via cisterna magna. Groups G1, G2, G3 and G4 received respectively 0.1; 0.3; 0.5 and 1 µg morphine in 10 µl of 0.9% saline solution. CSF samples were collected and side effects were recorded at M15, M30, M60, M120 and M180 minutes after injection. RESULTS: Side effects observed were: mandible tremors, agitation, pruritus, absence of diuresis, sedation, and respiratory changes. The incidence of side effects was higher during early evaluations and progressively decreased with time. Mean CSF morphine concentrations in G1 varied from 72.84 to 1.13 pg; in G2 from 114.26 to 5.68 pg; in G3 from 151.18 to 13.62 pg and in G4, from 561.37 to 18.61 pg. CONCLUSIONS: There has been no correlation between CSF morphine concentration and side effects.

JUSTIFICATIVA Y OBJETIVOS: La morfina por vía subaracnoidea promueve buen efecto analgésico, solamente no es exenta de efecto colateral. El objetivo de este estudio fue verificar si hay correlación entre la concentración de morfina en el líquor y los efectos colaterales después de inyección de morfina por vía subaracnoidea. MÉTODO: Fueron estudiados 28 ratones, en cuatro grupos, 24 horas después de colocación de catéter subaracnoideo vía cisterna magna. Los grupos G1, G2, G3, y G4 recibieron respectivamente 0,1; 0,3; 0,5 y 1 µg de morfina en 10 µl de solución fisiológica a 0,9%. Fueron colectadas muestras de líquor y anotados los efectos colaterales en los momentos M15, M30, M60, M120 y M180 minutos después de la inyección. RESULTADOS: Fueron observados efectos colaterales: tremor de mandíbula, agitación, prurito, ausencia de diuresis, sedación y alteración respiratoria. Hubo mayor incidencia de efectos colaterales en las evaluaciones precoces, diminuyendo progresivamente con el tiempo. Las concentraciones medias de morfina en el líquor en el G1 varió de 72,84 a 1,13 pg; en el G2, de 114,26 a 5,68 pg; en el G3, de 151,18 a 13,62 pg; y en el G4, de 561,37 a 18,61 pg. CONCLUSIONES: No hubo correlación entre concentración de morfina en el líquor y efectos colaterales.

JUSTIFICATIVA E OBJETIVOS: A morfina por via subaracnóidea promove bom efeito analgésico, mas não é isenta de efeito colateral. O objetivo deste estudo foi verificar se há correlação entre a concentração de morfina no líquor e os efeitos colaterais após injeção de morfina por via subaracnóidea. MÉTODO: Foram estudados 28 ratos, em quatro grupos, 24 horas após a colocação de cateter subaracnóideo via cisterna magna. Os grupos G1, G2, G3 e G4 receberam respectivamente 0,1; 0,3; 0,5 e 1 µg de morfina em 10 µl de solução fisiológica a 0,9%. Foram coletadas amostras de líquor e anotados os efeitos colaterais nos momentos M15, M30, M60, M120 e M180 minutos após a injeção. RESULTADOS: Os efeitos colaterais observados foram tremor mandibular, agitação, prurido, ausência de diurese, sedação e alteração respiratória. Houve maior incidência de efeitos colaterais nas avaliações precoces, diminuindo progressivamente com o tempo. As concentrações médias de morfina no líquor no G1 variou de 72,84 a 1,13 pg; no G2, de 114,26 a 5,68 pg; no G3, de 151,18 a 13,62 pg; e no G4, de 561,37 a 18,61 pg. CONCLUSÕES: Não houve correlação entre concentração de morfina no líquor e efeitos colaterais.
Palavra-chave ANALGESICS, Opioids
ANESTHETIC TECHNIQUES, Regional
ANIMAL
ANALGÉSICOS, Opióides
ANIMAL
TÉCNICAS ANESTÉSICAS, Regional
Idioma Português
Data de publicação 2004-02-01
Publicado em Revista Brasileira de Anestesiologia. Sociedade Brasileira de Anestesiologia, v. 54, n. 1, p. 53-59, 2004.
ISSN 0034-7094 (Sherpa/Romeo)
Publicador Sociedade Brasileira de Anestesiologia
Extensão 53-59
Fonte http://dx.doi.org/10.1590/S0034-70942004000100007
Direito de acesso Acesso aberto Open Access
Tipo Artigo
SciELO S0034-70942004000100007 (estatísticas na SciELO)
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/2011

Exibir registro completo




Arquivo

Nome: S0034-70942004000100007.pdf
Tamanho: 79.17KB
Formato: PDF
Descrição:
Abrir arquivo

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta