Eficácia da desinserção e da tenectomia bilaterais e simétricas dos músculos oblíquos superiores para correção de anisotropia em "A"

Eficácia da desinserção e da tenectomia bilaterais e simétricas dos músculos oblíquos superiores para correção de anisotropia em "A"

Autor Goldchmit, Mauro Autor UNIFESP Google Scholar
Orientador Moreira, José Belmiro de Castro Autor UNIFESP Google Scholar
Resumo As anisotropias em "A" estao frequentemente associadas a estrabismos horizontais. Desde as primeiras observacoes, teorias patogenicas surgiram na tentativa de esclarecer sua genese, entre elas as anomalias na conformacao orbitaria, as anomalias dos musculos retos horizontais, retos verticais ou obliquos e, mais recentemente, a torcao ocular. Atualmente, acredita-se que a hiperfuncao dos musculos obliquos superiores, quando presente, e a responsavel pela anisotropia em oAo e que seu debilitamento e obrigatorio. Diferentes tecnicas cirurgicas foram propostas e a literatura revela grande dispersao dos resultados. O presente estudo foi elaborado com o intuito de eliminar possiveis variaveis e assim minimizar a dispersao dos resultados. Objetiva avaliar e comparar a eficacia do debilitamento bilateral e simetrico dos musculos obliquos superiores hiperfuncionantes em 108 pacientes, eso e exotropicos, segundo a magnitude da anisotropia em oAo, atraves das tecnicas da desinsercao, proposta por GOBIN (1977), e da tenectomia, sugerida por SOUZA-DIAS (1986). Realizou-se a medida do angulo de desvio, com a melhor correcao optica quando necessaria, na posicao primaria do olhar e nas posicoes extremas de supra e infraversoes. Os testes utilizados foram o prisma e ocovero ou o de Krimsky. Considerou-se anisotropia em oAo quando a diferenca entre as medidas do desvio horizontal em supra e infraversoes eram igual ou superior a 10 . Para analise dos resultados, os pacientes foram divididos segundo a magnitude da anisotropia em oAo pre-operatoria entre 10 e 20 e entre 21 e 30Os resultados permitiram concluir que: (1) a correcao media da anisotropia horizontal no meridiano vertical em oAo e diretamente proporcional ao seu valor pre-operatorio; (2) a observacao da correcao media pos-operatoria obtida revela que ambas tecnicas sao eficazes na correcao da anisotropia em oAo e que, no grupo com menor magnitude pre-operatoria, houve pequena supercorrecao e, no de maior magnitude pre-operatoria, ocorreu discreta sub-correcao; (3) nos pacientes esotropicos, a tecnica da desinsercao mostrou-se, de forma estatisticamente significante, melhor, com relacao a porcentagem de bons resultados, nas anisotropias em oAo pre-operatoria entre 10 e 20 do que no grupo entre 21 e 30; (4) a tecnica da tenectomia, tanto entre os eso como os exotropicos, nao produziu diferencas estatisticamente significantes, com relacao a porcentagem de bons resultados na correcao das anisotropias em oAo, segundo seu valor pre-operatorio
Palavra-chave Estrabismo/cirurgia
Procedimentos cirúrgicos operatórios
Idioma Português
Data de publicação 1997
Publicado em São Paulo: [s.n.], 1997. 83 p.
Publicador Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 83 p.
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Tese de doutorado
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/20045

Exibir registro completo




Arquivo

Arquivo Tamanho Formato Visualização

Não existem arquivos associados a este item.

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta