Analise dos receptores muscarinicos em bexiga de ratas adultas em estro induzido e castradas com reposicao estrogenica

Analise dos receptores muscarinicos em bexiga de ratas adultas em estro induzido e castradas com reposicao estrogenica

Título alternativo Analysis muscarinic receptors at induce estrus and ovariectomized with estrogen treatment in the adult female rats urinary badder
Autor Silva, Maria Riselda Vinhote da Autor UNIFESP Google Scholar
Resumo Objetivo: Analisar os receptores muscarinicos em bexigas de ratas adultas em estro induzido e de ratas castradas tratadas com estrogenio conjugado equino. Metodos: Foram utilizadas ratas femeas, albinas, da colonia BAW com 90 e 120 dias de idade, pesando em torno de 200g. Os animais foram divididos em tres grupos experimentais: ratas castradas sem tratamento e sacrificadas cinco dias apos a castracao (C5d), ratas castradas e tratadas apos cinco dias de castracao com estrogenio conjugado equino 50gg/animal/dia (EC) e ratas tratadas com 25gglanimal com hexahidrobenzoato de estradiol, 24 horas antes dos experimentos (EI). A bexiga e o utero foram isolados e os seguintes aspectos foram analisados: peso corporal, peso relativo do utero e da bexiga, concentracao do estradiol plasmatico e estudos de ligacao do [3H]QNB em preparacoes de membranas da bexiga dos tres grupos experimentais. Nos estudos de ligacao do [3H]QNB foram realizados ensaios de cinetica e ensaios de saturacao com a determinacao dos parametros de ligacao, constante de dissociacao (Kp) e densidade de receptor (B,a,). Resultados: Nao houve alteracao do peso corporal dos animais dos tres grupos estudados. O peso relativo do utero aumentou com ambos os tratamentos em relacao ao animal castrado, porem o grupo EC foi significativamente menor que o do grupo El. Houve aumento significativo do peso relativo da bexiga somente no grupo EC. Houve aumento da concentracao de estradiol plasmatico em ambos os grupos experimentais. Porem, este efeito foi maior no grupo El. Nao houve alteracao significativa da afinidade dos receptores muscarinicos nos tres grupos estudados. A densidade dos receptores muscarinicos foi significativamente maior nos grupos EC e EI quando comparado ao grupo C5d . Conclusao: nossos resultados complementam os estudos da literatura em outras especies animais, indicando a modulacao da expressao dos receptores muscarinicos na bexiga pelo estrogenio. Desde que ha muitas implicacoes clinicas na modulacao da funcao urinaria pelos estrogenios, e importante elucidar os mecanismos dos efeitos induzidos pelo hormonio na bexiga
Palavra-chave Receptores Muscarínicos
Bexiga Urinária
Estrogênios
Idioma Português
Data de publicação 2003
Publicado em São Paulo: [s.n.], 2003. 79 p.
Publicador Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 79 p.
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Dissertação de mestrado
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/20002

Exibir registro completo




Arquivo

Arquivo Tamanho Formato Visualização

Não existem arquivos associados a este item.

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta