Estudo comparativo entre a amplitude articular de movimento do tornozelo e o indice de mobilidade funcional de rivermead em pacientes hemipareticos espasticos, apos a injecao intramuscular de toxina botulinica tipo A nos musculos gastrocnemio e solear, complementada por fisioterapia

Estudo comparativo entre a amplitude articular de movimento do tornozelo e o indice de mobilidade funcional de rivermead em pacientes hemipareticos espasticos, apos a injecao intramuscular de toxina botulinica tipo A nos musculos gastrocnemio e solear, complementada por fisioterapia

Título alternativo Comparative study between the ankle joint range of motion and rivermead functional mobility index in hemiparetic patients, after a intra-muscular injection of toxin botulinum type A in the muscles gastrocnemius and solear followed by physical therapy
Autor Pontes, Lucieny da Silva Autor UNIFESP Google Scholar
Resumo Introdução: pacientes acometidos por acidente vascular encefalico, frequentemente, apresentam como sequela a espasticidade. Seu tratamento e controverso, sendo ultimamente fifundida a injecao intramuscular de toxina botulinica tipo A. Objetivos:comparativo as amplitudes articulares de movimento do tornozelo e o ganho de mobilidade funcional, apos o tratamento da espasticidade de membros inferiores em individuos que tiveram acidente vascular encefalico, mediante a injecao intramuscular de toxina botulinica tipo A, completada por fisioterapia. Casuistica e metodos: ensaio clinico experimental, prospectivo, randomizado, duplo-cego, placebo-controlado. Dezesseis pacientes receberam placebo ou 300U de toxina botulinica tipo A nos musculos gastrocnemio e solear.A eficacia da droga foi avaliada atraves da comparacao da espasticidade pre e pos-bloqueio (15 e 60 dias) por meio da escala de Ashworth modificada, mensuracao da amplitude articular de movimento de tornozelo com o equipamento fleximetro e com a utilizacao do Indice de Mobilidade Funcional deRivermead. Resultados: Houve aumento significante (p<0,05) da area sob a curva para as amplitudes articulares de movimento do tornozelo na forma lenta com os joelhos estendidos a 180º e fletidos a 90º para a amplitude total, e para a dorsiflexao com flexao a 90º de joelhos. Entretanto, nao houve ganho funcional nos dois grupos. Conclusao: O presente estudo sugere que o tratamento com toxina botulinica tipo A melhora a amplitude articular de movimento do tornozelo em pacientes com espasticidade dos musculos gastrocnemio e solear apos acidente vascular encefalico
Palavra-chave Espasticidade Muscular
Toxinas Botulínicas Tipo A
FISIOTREAPIA(ESPECIALIDADE)
Idioma Português
Data de publicação 2003
Publicado em São Paulo: [s.n.], 2003. 89 p.
Publicador Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 89 p.
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Dissertação de mestrado
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/19953

Exibir registro completo




Arquivo

Arquivo Tamanho Formato Visualização

Não existem arquivos associados a este item.

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta