Avaliação da contratura capsular pós-inclusão de próteses mamárias de silicone de superfície lisa e texturizada em porcos

Avaliação da contratura capsular pós-inclusão de próteses mamárias de silicone de superfície lisa e texturizada em porcos

Título alternativo Assessment of capsular contracture after augmentation mammaplasty with smooth surface and textured surface prostheses in pigs
Autor Minami, Eliza Autor UNIFESP Google Scholar
Orientador Koh, Ivan Hong Jun Autor UNIFESP Google Scholar
Resumo A contratura capsular é considerada uma importante complicação pós-inclusão de próteses nas mamas. Um dos principais fatores relacionados com a ocorrência de contratura capsular é a característica da superfície da prótese. Objetivou-se comparar próteses mamárias de silicone de superfície lisa com próteses de superfície texturizada em porcos, avaliando a contratura capsular nos períodos de 30, 60, 180 e 270 dias pós-operatórios. Foram avaliados 33 porcos da raça Landrace, pelo método de tonometria por aplanação e pela histologia. Cada animal recebeu duas próteses mamárias de silicone: uma com superfície lisa e outra com superfície texturizada. posicionadas nas paredes torácicas direita e esquerda, acima da aponeurose muscular. Foi realizada análise de variância com medidas repetidas (a = 0,05). As cápsulas formadas ao redor de próteses de superfície lisa apresentaram maior pressão à tonometria (p = 0,0036) e também maior espessura (p = 0,0398) ao longo dos períodos avaliados quando comparadas às de próteses de superfície texturizada. Tanto pressão quanto espessura total das cápsulas em torno de próteses de superfície lisa aumentaram com o decorrer do tempo, e foi observada relação direta entre aumento da espessura das cápsulas e aumento da contratura capsular (coeficiente de Pearson = 0,627, p < 0,01). As próteses texturizadas apresentaram tendência a contratura capsular menos intensa e a menor aumento da espessura da cápsula ao longo do tempo. Além disso, observou-se maior ocorrência de metaplasia do tipo sinovial e de hiperplasia do tipo vilosa nas próteses texturizadas. Estes achados podem justificar a menor incidência de contratura capsular com o uso de próteses texturizadas quando comparadas às lisas. O aumento da espessura total da cápsula ocorreu às custas da camada não-colagenosa. A camada colagenosa não mostrou diferenças estatísticas ao longo do tempo quanto à espessura, apresentando substituição de fibras tinas por fibras grossas nos períodos tardios (180 e 270 dias), em ambos os tipos de prótese. Assim, na prótese de superfície lisa, o aumento progressivo da espessura da cápsula, com maior concentração de fibras colágenas (p = 0,0107) e maior agregação de fibras grossas em relação à prótese texturizada (p=0,034) foram fatores associados a maior incidência de contratura capsular quando comparada à texturizada.
Palavra-chave Implantes de mama
Implante mamário
Géis de silicone
Colágeno
Manometria
Idioma Português
Data de publicação 2003
Publicado em São Paulo: [s.n.], 2003. 90 p.
Publicador Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 90 p.
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Tese de doutorado
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/19943

Exibir registro completo




Arquivo

Arquivo Tamanho Formato Visualização

Não existem arquivos associados a este item.

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta