Os pais e os profissionais de saúde concordam quanto a avaliação da possível dor sentida por recém-nascidos internados em unidades de terapia intensiva?

Os pais e os profissionais de saúde concordam quanto a avaliação da possível dor sentida por recém-nascidos internados em unidades de terapia intensiva?

Título alternativo Are the opinions of parents and health profissionals homogenous regarding the presence and the intensity of the pain possibly felt by critically ill neonates?
Autor Elias, Luciana Sabatini Doto Tannous Autor UNIFESP Google Scholar
Orientador Guinsburg, Ruth Autor UNIFESP Google Scholar
Resumo Objetivo: verificar se pais de RN internados em unidades de terapia intensiva e profissionais de Saúde que ai trabalham avaliam de maneira semelhante a presenca e a magnitude da dor destes pacientes. Metodos: cada trio de adultos (pai ou mae, auxiliar de enfermagem e medico) avaliou um unico RN. Foram observados 52 bebes por: 50 pais (2 RN gemelares), 52 auxiliares de enfermagem e 52 medicos. Apos responder a um questionario socio-demografico, cada adulto se colocava frente ao RN e o observava por 1 minuto. Ao final, ele respondia se achava que o RN estava sentindo dor. No caso de resposta positiva, o adulto assinalava com um X na escala analogica visual vertical o quanto de dor ele acreditava que o RN sentia naquele momento e ainda relatava o seu parecer sobre a provavel origem da dor. A analise quanto a homogeneidade ou heterogeneidade dessa avaliacao de cada bebe pelo trio de adultos foi realizada por meio do Grafico de Bland-Altman e do coeficiente de correlacao intraclasse, considerando-se significante p<0,05. Analisou-se ainda se fatores inerentes ao RN (idade, sexo, via de parto, Apgar e uso de medicacoes, entre outros) poderiam interferir na avaliacao feita pelo trio de adultos por meio de regressao linear, ANOVA e regressao linear multipla. Resultados: houve concordancia por parte de medicos, auxiliares de enfermagem e pais quanto a ausencia da dor no RN observado. Porem, quando achavam estar a dor presente, houve grande discordancia na avaliacao da magnitude da possivel dor sentida pelo paciente. A analise da associacao de cada fator relacionado ao proprio RN com a heterogeneidade na avaliacao da dor feita pelos adultos nao foi significante. A avaliacao das variaveis em conjunto mostrou que apenas 10 por cento da discordancia de avaliacao da magnitude da possivel dor sentida pelo RN entre o trio de adultos poderia ser explicada pelo sexo e/ou via de parto do paciente. Conclusoes: diante da heterogeneidade na avaliacao feita por adultos da intensidade da dor de recem-nascidos e diante dos multiplos fatores nao controlaveis que interferem nessa avaliacao, o uso rotineiro de instrumentos validados para a mensuracao da dor de neonatos internados em unidades de terapia intensiva se faz necessario
Palavra-chave Dor
Recém-nascido
Terapia intensiva
Idioma Português
Data de publicação 2003
Publicado em São Paulo: [s.n.], 2003. 126 p.
Publicador Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 126 p.
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Dissertação de mestrado
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/19933

Exibir registro completo




Arquivo

Arquivo Tamanho Formato Visualização

Não existem arquivos associados a este item.

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta