Avaliação da correção do astigmatismo corneano com incisão relaxante limbar na cirurgia extracapsular da catarata pelo método da falsificacionismo

Avaliação da correção do astigmatismo corneano com incisão relaxante limbar na cirurgia extracapsular da catarata pelo método da falsificacionismo

Título alternativo Limbal relaxing incision to correct corneal astigmatism in cataract surgery
Autor Carvalho, Mario Jose Autor UNIFESP Google Scholar
Resumo Objetivo: Avaliar a eficácia e a segurança das incisões relaxantes limbares na correção do astigmatismo corneano em pacientes submetidos à cirurgia extracapsular da catarata pelo método da facoemulsificação, avaliando possíveis complicações e efeitos intra e pós-operatórios.. Métodos: Foram incluídos nesse estudo 50 olhos de 37 pacientes, sendo 21 mulheres e 16 homens, com idade variando de 45 a 85 anos (média de 66,5 anos). Os pacientes eram provenientes do ambulatório do Instituto da Catarata do Departamento de Oftalmologia da Universidade Federal de São Paulo, de demanda espontânea, com diagnóstico de catarata e astigmatismo corneano variando de 1 a 4 D, para tratamento cirúrgico da catarata, no período entre janeiro de 2000 e março de 2002. As incisões relaxantes limbares foram realizadas no meridiano mais curvo do astigmatismo na parte interna da arcada vascular limbar, com profundidade de 600u, independente da paquimetria corneana central. Todos os pacientes foram operados pelo mesmo cirurgião. Nas visitas de controle pós-operatório de um, três e seis meses foram realizados teste de acuidade visual, sem e com correção, refração e ceratoscopia computadorizada. Resultados: A média da acuidade visual com a melhor correção óptica (LogMAR), no pré-operatório foi de 0,0 alcançando 0,1 com um mês, três meses e seis meses de pós-operatório (p<0,01). O astigmatismo topográfico foi de 1,93 ± 0,58 DC no pré-operatório, evoluindo com astigmatismo topográfico residual de 1,18 ± 0,71 DC; 1,07 ± 0,55 DC; 1,02 ± 0,60 DC com um mês, três meses e seis meses de pós-operatório, respectivamente (p<0,05). A média do astigmatismo induzido (SIA), nos olhos do grupo I, foi menor do que o astigmatismo programado (TIA) em 28 por cento, 17 por cento e 23,5 por cento quando analisado com um mês, três meses e seis meses de pós-operatório, respectivamente, sem levar em conta o ângulo de correção. O índice de correção obtido foi de 0,83 ± 0,42, 0,85 ± 0,61, 0,85 ± 0,33 com um mês, três meses e seis meses de pós-operatório. Conclusões: A cirurgia de incisões relaxantes limbares, associada à facectomia extracapsular pelo método da facoemulsificação, mostrou-se eficaz na redução do astigmatismo corneano, e não apresentou complicações que acarretassem baixa da acuidade visual
Palavra-chave Extração de catarata
Astigmatismo/cirurgia
Limbo da córnea
Facoemulsificação
Idioma Português
Data de publicação 2003
Publicado em São Paulo: [s.n.], 2003. 101 p.
Publicador Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 101 p.
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Tese de doutorado
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/19927

Exibir registro completo




Arquivo

Arquivo Tamanho Formato Visualização

Não existem arquivos associados a este item.

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta