Anel corneano intra-estromal para baixa miopia: estudo comparativo com a técnica de LASIK

Anel corneano intra-estromal para baixa miopia: estudo comparativo com a técnica de LASIK

Título alternativo Intrastromal corneal ring for low myopia: a comparative study with LASIK
Autor Forseto, Adriana dos Santos Autor UNIFESP Google Scholar
Schor, Paulo Autor UNIFESP Google Scholar
Belfort, Rubens Junior Autor UNIFESP Google Scholar
Nosé, Walton Autor UNIFESP Google Scholar
Instituição Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Eye Clinic Day Hospital
Universidade Metropolitana de Santos
Resumo PURPOSE: To evaluate the efficacy and safety of intrastromal corneal ring segments (ICRS) for the correction of low myopia, and to compare the obtained results with a control group submitted to laser in situ keratomileusis (LASIK). METHODS: Prospective, nonrandomized and bilateral study. Fourteen patients with preoperative spherical equivalent ranging from -1.00 to -4.50 D received ICRS in one eye and LASIK in the other. Postoperative evaluations were performed at day one and seven and months 1, 3, 6, 12 and 24. RESULTS: At the last follow-up, 64.29% of ICRS eyes (9/14) and 85.71% of LASIK eyes (12/14) were within ± 0.50 D of the predicted refractive outcome (p=0.385). Uncorrected visual acuity of 20/20 or better was observed in four of 14 ICRS eyes (28.57%), and in 12 of 14 LASIK eyes (85.71%) (p=0.002<a href=#nt02>²</a>). No variances of more than 1.00 D in the manifest spherical equivalent refraction between two consecutive examinations or significant loss of best spectacle-corrected visual acuity were observed in both groups. Surgically induced astigmatism was greater in ICRS eyes than in LASIK eyes. At 24 months, the ICRS eyes scored lower in contrast sensitivity testing, especially at higher spatial frequencies (p=0.032<a href=#nt02>²</a> at 18 cpd). The patients reported more subjective complaints in the early postoperative period for the ICRS eyes. CONCLUSIONS: ICRS were considered effective for the correction of low myopia, but their safety was limited by the observed surgically induced astigmatism, and their results were inferior compared to the control group.

OBJETIVO: Avaliar prospectivamente a eficácia e segurança dos segmentos de anéis corneanos intra-estromais (ICRS) para a correção de baixa miopia e comparar os resultados obtidos com a técnica de laser in situ keratomileusis (LASIK). MÉTODOS: Estudo prospectivo, bilateral e não randomizado. Quatorze pacientes com equivalente esférico entre -1,00 e -4,50 D foram submetidos ao implante de ICRS em um olho e à técnica de LASIK no olho contralateral. As avaliações pós-operatórias foram realizadas com um e sete dias, um, três, seis, 12 e 24 meses. RESULTADOS: Ao último exame, 64,29% dos olhos (9/14) do grupo ICRS e 85,71% (12/14) após o LASIK estavam entre ± 0,50 D da correção desejada (p=0,385). Acuidade visual sem correção >20/20 foi obtida em quatro dos 14 olhos (28,57%) do grupo ICRS, e em 12 dos 14 olhos (85,71%) do grupo LASIK (p=0,002<a href=#nt01>¹</a>). Durante o seguimento, não foram observadas variações refracionais superiores a 1,00 D, entre dois exames consecutivos, em ambos os grupos, ou perda significante da melhor acuidade visual corrigida. Maior indução de astigmatismo foi encontrada nos olhos implantados com ICRS. Ao exame de 24 meses, o grupo ICRS apresentou valores inferiores no exame de sensibilidade ao contraste, especialmente nas freqüências espaciais mais altas (p=0,032<a href=#nt01>¹</a> em 18 cpd). Foram relatadas mais queixas subjetivas no período pós-operatório precoce de ICRS em relação ao LASIK. CONCLUSÕES: Os ICRS foram considerados eficazes na correção de baixa miopia, porém sua segurança foi limitada pela indução de astigmatismo no pós-operatório, e seus resultados foram inferiores aos do grupo controle.
Palavra-chave Myopia
Cornea
Prosthesis implantation
Laser in situ keratomileusis
Miopia
Córnea
Implante de prótese
Ceratomileuse assistida por excimer laser in situ
Idioma Português
Data de publicação 2004-02-01
Publicado em Arquivos Brasileiros de Oftalmologia. Conselho Brasileiro de Oftalmologia, v. 67, n. 1, p. 13-22, 2004.
ISSN 0004-2749 (Sherpa/Romeo)
Publicador Conselho Brasileiro de Oftalmologia
Extensão 13-22
Fonte http://dx.doi.org/10.1590/S0004-27492004000100003
Direito de acesso Acesso aberto Open Access
Tipo Artigo
SciELO S0004-27492004000100003 (estatísticas na SciELO)
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/1991

Exibir registro completo




Arquivo

Nome: S0004-27492004000100003.pdf
Tamanho: 430.3KB
Formato: PDF
Descrição:
Abrir arquivo

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta