Correlação da pletismografia a ar com o quadro clínico (CEAP) e ultra-som colorido com doppler na insuficiência da veia safena magna

Correlação da pletismografia a ar com o quadro clínico (CEAP) e ultra-som colorido com doppler na insuficiência da veia safena magna

Título alternativo Correlation between air plethysmography and the clinical diagnosis and duplex scanning in the greater saphenous vein insufficiency
Autor Seidel, Amélia Cristina Autor UNIFESP Google Scholar
Orientador Miranda Junior, Fausto Autor UNIFESP Google Scholar
Resumo Objetivo: O proposito deste estudo foi avaliar a importancia da pletismografia a ar no diagnostico da insufiCiência da veia safena magna e determinar sua correlacao com a gravidade clinica da doenca pela classificacao CEAP e a distribuicao anatomica do refluxo na veia avaliada pelo ultra-som colorido com Doppler. Metodos: Foram examinados, prospectivamente, 100 membros de 81 pacientes que apresentavam refluxo da veia safena magna determinado pelo ultra-som colorido com Doppler (grupo E) e 32 membros de 16 voluntarios sem sinais ou sintomas de doenca venosa (grupo C). Todos tambem foram submetidos ao exame clinico e a pletismografia a ar dos membros inferiores. Com ultra-som colorido com Doppler foram obtidos o diametro da veia safena magna em sete niveis, a velocidade e o tempo de refluxo nos diferentes tipos de refluxo nesta veia. Da pletismografia a ar foram considerados os valores do indice de enchimento venoso, da fracao de ejecao e da fracao de volume residual. Resultados: Dos 132 membros, 61 pertenciam a classe clinica C2. Na comparacao do diametro da veia safena magna entre os grupos C e E houve diferenca estatisticamente significante, exceto no setimo nivel. Utilizando-se a Correlacao de Spearman para analise dos indices obtidos na pletismografia a ar e ultra-som colorido com Doppler foram observadas algumas significancias, porem o coeficiente de explicacao (r2) mostra que estas sao fracas, apesar de significantes. Conclusoes: Os indices da pletismografia a ar podem nao se correlacionar com o tipo de refluxo na veia safena magna, pois houve uma correlacao muito fraca entre seus valores e a velocidade do refluxo nesta veia. Criterios baseados em parametros derivados do ultra-som colorido com Doppler sao uteis na avaliacao da insufiCiência venosa superficial. Nao foi possivel correlacionar a pletismografia a ar com a gravidade clinica da doenca, pois houve prevalencia da classe C2
Palavra-chave Veia safena
Ultrassonografia doppler
Pletismografia
Ultra-sonografia doppler em cores
Varizes
Idioma Português
Data de publicação 2003
Publicado em São Paulo: [s.n.], 2003. 116 p.
Publicador Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 116 p.
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Tese de doutorado
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/19909

Exibir registro completo




Arquivo

Arquivo Tamanho Formato Visualização

Não existem arquivos associados a este item.

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta