Avaliacao da funcao ventricular esquerda de pacientes jovens com osteossarcoma apos tratamento com doxorrubicina associada ao dexrazoxane

Avaliacao da funcao ventricular esquerda de pacientes jovens com osteossarcoma apos tratamento com doxorrubicina associada ao dexrazoxane

Título alternativo Evaluation of left ventricular function of young patients with osteosarcoma with doxorubicin and dexrazoxane: a study with low-dose dobutamine stress echocardiography after treatment
Autor Paiva, Marcelo Goulart Autor UNIFESP Google Scholar
Resumo Objetivo: Avaliar, pela ecocardiografia sob estresse com baixas doses de dobutamina, o efeito protetor cardiaco da associacao do dexrazoxane ao tratamento de osteossarcoma com doxorrubicina em criancas e adolescentes. Metodos: Cinquenta e oito pacientes com osteossarcoma foram divididos em tres grupos. O grupo I (21 pacientes, 14 sexo masculino, 177 ± 53 meses de idade) antes do tratamento quimioterapico, foi considerado o grupo controle. O grupo II (19 pacientes, 11 sexo masculino, 236 ± 51 meses de idade) recebeu 348 ± 18 mg/m2 doxorrubicina em infusao rapida. O grupo III (18 pacientes, 11 sexo masculino, 202 ± 61 meses de idade) recebeu 397 ± 55mg/m2 de doxorrubicina em infusao rapida, associada ao dexrazoxane na relacao de 10:1. Os pacientes realizaram ecocardiografia sob estresse com dobutamina na dose maxima de 5Ng/kg/min. Os pacientes dos grupos II e III realizaram o exame, respectivamente, apos um intervalo medio de 32 ± 7 meses e 13 ± 5 meses do termino da quimioterapia. Foram analisadas variaveis estruturais, hemodinamicas, de funcao diastolica e funcao sistolica, incluindo porcentagem de encurtamento (PE), fracao de ejecao (FE), velocidade de encurtamento circunferencial e o estresse sistolico final de parede do ventriculo esquerdo. Os respectivos incrementos destes indices com dobutamina (APE, AFE e AVCFc) foram definidos como reserva funcional. Resultados: Nao foram observados eventos adversos graves. O grupo III recebeu uma dose media de doxorrubicina significativamente maior do que o grupo li, porem apresentou ao ecocardiograma sob estresse com dobutamina uma resposta significativamente melhor do que este e semelhante ao grupo controle. Observaram-se valores medios da velocidade de encurtamento circunferencial, diferenca entre a velocidade de encurtamento circunferencial durante a infusao de dobutamina e basal significativamente maiores e diametro sistolico e estresse sistolico final de parede do ventriculo esquerdo significativamente menores no grupo III e I em relacao ao grupo II (p<0,05). Valores medios de frequencia cardiaca e da onda oAo foram significativamente maiores e diametros diastolicos significativamente menores no grupo I em relacao ao grupo II (p<0,05). Nao foram observadas diferencas significantes entre os grupos I e III. Conclusao: A realizacao da ecocardiografia sob estresse com baixas doses de dobutamina identificou uma resposta miocardica e reserva funcional sistolica no grupo que fez uso do dexrazoxane semelhante ao grupo controle e melhor do que o grupo tratado apenas com doxorrubicina, sugerindo um efeito protetor miocardico do dexrazoxane
Assunto TOXIDADE DE DROGAS
Ecocardiografia Doppler
Estresse Fisiológico
Razoxano
Idioma Português
Data 2003
Publicado em São Paulo: [s.n.], 2003. 97 p.
Editor Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 97 p.
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Tese de doutorado
URI http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/19895

Mostrar registro completo




Arquivos deste item

Arquivos Tamanho Formato Visualização

Não existem arquivos associados a este item.

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(s)