Enxerto de osso autogeno com e sem plasma rico em plaquetas na cirurgia de elevacao do assoalho do seio maxilar

Enxerto de osso autogeno com e sem plasma rico em plaquetas na cirurgia de elevacao do assoalho do seio maxilar

Título alternativo Autogenous bone graft with and without platelet-rich plasma in the surgery of sinus lift: histomorphometric and computerized tomography analysis
Autor Moscatiello, Rafael Andrade Autor UNIFESP Google Scholar
Resumo Objetivos: quantificar a formacao ossea nos enxertos com e sem plasma rico em plaquetas, obtido pelos metodos de centrifugacao e aferese, comparando os tres tipos de enxertos realizados; qualificar e quantificar a formacao ossea obtida por analise tomografica, histomorfometrica e semiquantitativa. Metodos: este estudo prospectivo duplo cego utilizou uma amostra com 34 pacientes adultos, de ambos os sexos, com uma idade media de 48 anos e 8 meses, portadores de pneumatizacao unilateral ou bilateral dos seios maxilares, que necessitavam de enxertos osseos, com a finalidade de melhorar as condicoes locais para a colocacao dos implantes dentarios. Todos os pacientes realizaram tomografia computadorizada antes da cirurgia. Foram operados 53 seios maxilares divididos em tres grupos: enxerto de plasma rico em plaquetas obtido pelos metodos de aferese, centrifugacao e enxerto apenas de osso autogeno. Apos seis meses do procedimento cirurgico, foi realizada a coleta de um cilindro osseo da regiao operada para analise histomorfometrica e semiquantitativa, classificada em escore 1, 2 e 3 (ruim, media e boa, respectivamente) e realizados novos exames radiograficos. Resultados: na avaliacao estatistica dos dados obtidos na tomografia computadorizada houve crescimento em altura e em largura nos tres grupos quando comparados os momentos inicial e final, entretanto nao houve diferenca estatistica para altura (p = 0,078) e para a largura (p = 0,556). Na histomorfometria nao houve diferenca estatistica entre os grupos no parametro espessura da cortical (p = 0,548) e area ossea (p = 0,058). Quanto ao numero de traves osseas, verificou-se que a concentracao de maior numero foi encontrada nos enxertos do grupo aferese seguido do osso autogeno e do centrifuga. Pela avaliacao semiquantitativa houve diferenca estatisticamente significante entre os grupos (p = 0,0002). O metodo aferese apresentou alta concentracao de avaliacoes com escore 3 e nenhuma com escore 1, seguido do grupo centrifuga. Conclusoes: pela tomografia computadorizada houve crescimento em altura e em largura nos tres grupos, pela histomorfometria nao houve diferenca estatistica entre os grupos e pela avaliacao semiquantitativa houve diferenca estatistica significativa. Evidencias clinicas demonstram a eficacia dos enxertos autogenos, principalmente aqueles associados a fatores indutores de crescimento osseo, como o plasma rico em plaquetas, recuperando o arcabouco maxilofacial, necessario para a reconstrucao protetica e funcional por meio de implantes dentarios
Palavra-chave Tomografia Computadorizada por Raios X
Seio Maxilar
Transplante Ósseo
Plaquetas
Remoção de Componentes Sanguíneos
Idioma Português
Data de publicação 2003
Publicado em São Paulo: [s.n.], 2003. 64 p.
Publicador Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 64 p.
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Tese de doutorado
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/19885

Exibir registro completo




Arquivo

Arquivo Tamanho Formato Visualização

Não existem arquivos associados a este item.

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta