Uso de broncodilatador em pacientes com doencas intersticiais pulmonares e obstrucao ao fluxo aereo

Uso de broncodilatador em pacientes com doencas intersticiais pulmonares e obstrucao ao fluxo aereo

Título alternativo Bronchodilator in interstitial lung disease and airflow limitation: functional impact at rest and during the exercise
Autor Amado, Veronica Moreira Autor UNIFESP Google Scholar
Resumo O padrao ventilatorio tipico das doencas intersticiais pulmonares e o restritivo. Pode, entretanto, ocorrer obstrucao ao fluxo aereo, quando alteracoes inflamatorias e/ou fibrose envolvem as vias aereas, na associacao dessas doencas ao tabagismo e mais frequentemente em doencas cisticas e doencas granulomatosas. Em pacientes com doenca pulmonar obstrutiva cronica (DPOC), a hiperinsuflacao e a sobrecarga ventilatoria decorrentes resultam em dispneia durante o exercicio. A reducao de volumes apos se usar broncodilatadores melhora a dispneia e a capacidade para o exercicio. OBJETIVO: Avaliar a resposta funcional ao broncodilatador (BD) das doencas intersticiais com padrao obstrutivo, sob repouso e sob exercicio. METODO: Estudo duplo cego, aleatorio; cruzado, prospectivo, envolvendo 18 pacientes com doencas intersticiais difusas e relacao entre volume expiratorio forcado no primeiro segundo (VEF1) E capacidade vital forcada (VEF1/CVF) < 70 por cento. Os pacientes receberam aleatoriamente salbutamol 400&#61549;g ou placebo. Realizou-se pletismografia, espirometria, ventilacao voluntaria maxima (VVM), capacidade de difusao do monoxido de carbono (DCO). Fez-se o teste de esforco maximo inicial e, em dia diferentes, os testes com carga constante (60 a 80 por cento da carga maxima atingida no teste de esforco maximo) com a curva fluxo-volume. Apos periodo de repouso foram realizados os testes de caminhada de 6 minutos. Avaliou-se tempo de endurance, distancia caminhada, dispneia e fadiga muscular. RESULTADO Apos se usar o BD houve melhora do VEF1 (placebo 1,76±0,55 e BD 1,96±0,61 p<0,001), CVF, resistencia de vias aereas (Rva), condutancia especifica de vias aereas (Gva/V p&#61549;) e VVM; nao melhoram significativamente os volumes pulmonares estaticos. No exercicio houve reducao da capacidade inspiratoria (CI). A reducao da CI corelacuionou-se inversamente com a dispneia (r=0,59, p<0,005). Durante o0 teste de exercicio de carga constante a CI foi semelhante (1,67&#61617;0,43 L) apos BD comparada ao placebo (1,62 &#61617; 0,51 L). Apos BD a superposicao entre a curva de volume corrente e o envelope maximo da curva fluxo-volume diminuiu, mas nao melhoraram o tempo de endurance (10,9 &#61617; 6,5min. apos placebo e 10,4&#61617;7,3min. apos BD), o indice de dispneia, no exercicio em cicloergometro (mediana Borg=9 para os dois tratamentos), a distancia caminhada (576&#61617; 58m pos-placebo e 565&#61617;57m pos BD) e o indice de dispneia apos caminhada (mediana 7 pos-placebo e 6 pos BD).CONCLUSOES: A administracao de BD melhorou VEF1, CVF e VVM, mas nao melhorou o desempenho no exercicio
Palavra-chave Doenças Pulmonares Intersticiais
Broncodilatadores
Exercício
Idioma Português
Data de publicação 2003
Publicado em São Paulo: [s.n.], 2003. 125 p.
Publicador Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 125 p.
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Tese de doutorado
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/19797

Exibir registro completo




Arquivo

Arquivo Tamanho Formato Visualização

Não existem arquivos associados a este item.

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta