Contribuição ao estudo dos linfomas não Hodgkin associados ao HTLV-1, Helicobacter pylori e vírus Epstein-Barr

Contribuição ao estudo dos linfomas não Hodgkin associados ao HTLV-1, Helicobacter pylori e vírus Epstein-Barr

Título alternativo Contribuition to the study of non Hodgkin lymphoma associated to HTLV-1, Helicobacter pylori and Epstein-Barr
Autor Oliveira, José Salvador Rodrigues de Autor UNIFESP Google Scholar
Resumo Os LNH constituem um grupo heterogeneo de doencas. Somente apos a decada de 90 houve mais clareza nas classificacoes, sendo decisiva a individualizacao por oentidades definitivasoe oprovisoriasoconsiderando os aspectos clinicos, morfologicos e moleculares distintos no que foi tido como permanente e criterios ainda nao totalmente admitidos no conceito de oprovisorio. Ainda nao atingimos o ideal, que seria a legitimacao para todos os tipos morfologicos de doencas onco-hematologicas. Os avancos, sem duvida, foram extraordinarios, repercutiram imensamente nas definicoes clinico-patologicas e abriram caminhos para tratamentos mais direcionados. 0 ATL, por ter sido a primeira destas doencas que teve seu agente causal serviu como modelo de oncogenese. Apesar dos imensos progressos nos campos da biologia celular, molecular, genetica, etc, ainda nao sao precisos quais os fatores de cunho genetico que tornam alguns individuos vulneraveis ao ATL, outros ao NAMITSP e ao status de portador assintomatico, que constituem a maioria dos infectados. Dentro do contexto do ATL, as formas distintas de apresentacao como cronica, linfomatosa e indolente, nao tem patogenese completamente elucidada. 0 estabelecimento destas formas clinicas, os estudos soro-epidemioiogicos e o rastreamento familiar possibilitaram a determinacao das vias de contaminacao em nosso meio. Estudos de tipagem do HLA mostram consenso quanto ao papei protetor A2. 0 HLA A26 e DR8 estao associados ao ATL. As pesquisas da genotipagem apontam para a agregacao familiar como fator mantenedor do virus em grupos raciais, como os nativos africanos e japoneses. Ha muito que aprender nesta interessante doenca, sobretudo na sua oncogenese divergente entre as diferentes formas de apresentacao. Apesar destes avancos na biologia do tumor, muito pouco ou quase nada se fez para a cura desta complicada entidade. Os antiretrovirais, a imunoterapia com emprego de anticorpos monoclonais dirigidos contra alvosa(au)
Palavra-chave Vírus 1 linfotrópico T humano
Helicobacter pylori
Linfoma não Hodgkin
Herpesvírus humano 4
Linfoma de zona marginal tipo células B
Idioma Português
Data de publicação 2003
Publicado em São Paulo: [s.n.], 2003. 217 p.
Publicador Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 217 p.
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Tese de livre-docência
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/19774

Exibir registro completo




Arquivo

Arquivo Tamanho Formato Visualização

Não existem arquivos associados a este item.

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta