Estudo comparativo dos fluxos de enxertos arteriovenosos com veia homologa e veia autóloga, em vasos femorais de cães

Estudo comparativo dos fluxos de enxertos arteriovenosos com veia homologa e veia autóloga, em vasos femorais de cães

Título alternativo Comparative study of the blood flow of arteriovenous grafts with homologous and autologous veins in femoral arteries in dogs
Autor Galego, Sidnei Jose Autor UNIFESP Google Scholar
Orientador Miranda Junior, Fausto Autor UNIFESP Google Scholar
Resumo Objetivo: Investigar os fluxos em comunicacoes artenovenosas comparando-se veias autologas e homologas em enxertos arteriovenosos em vasos femorais de caes. Metodos: Foram utilizados 10 caes para a analise do fluxo sanguineo, e realizados em cada um deles dois enxertos arteriovenosos, sendo de um lado confeccionado um enxerto com utilizacao de veia autologa e do outro lado com utilizacao de veia homologa conservada com glutaraldeido na concentracao de 0,25 por cento. O fluxo arterial medio inicial e os fluxos medios das comunicacoes nas regioes da arteria cranial a comunicacao , caudal a comunicacao, da veia cranial a comunicacao e do enxerto empregado, foram analisados apos 15 minutos da confeccao dos enxertos e apos 15 dias da primeira operacao. O metodo empregado para a obtencao dos valores medios dos fluxos sanguineos, foi a fluxometria eletromagnetica. Para a analise dos dados, utilizou-se os testes nao parametricos de Mann-Whitney (para verificacao de diferenca de resultados entre os lados empregados) e o Teste de Wilcoxon (para a comparacao de diferenca de resultados entre os tempos empregados e as tecnicas empregadas). (&#61537;< ou =0,05). Resultados: Observou-se um aumento do fluxo na porcao cranial da arteria femoral destas comunicacoes de cerca de 5,3 vezes na operacao e de 6,8 vezes na reoperacao para ambas as tecnicas. Na porcao caudal da arteria femoral dos enxertos arteriovenosos houve inversao do fluxo sanguineo na ordem 1,6 vezes para ambas as tecnicas no momento da operacao e de 4,1 vezes e 3,7 vezes para a veia autologa e homologa respectivamente. Com diferenca significante o aumento de inversao que ocorreu nos enxertos autologos. Na porcao cranial da veia femoral, os resultados encontrados foram de aumento do fluxo em relacao ao fluxo da arteria femoral antes da realizacao dos enxertos arteriovenosos. O aumento se deu na ordem de 5,3 vezes e de 7,4 vezes para os enxertos autologos e homologos respectivamente na operacao e de 8,0 vezes para 9,6 vezes na reoperacao. Houve aumento significante do enxerto autologo em relacao aos dois procedimentos. Havia diferenca significante entre os enxertos empregados no momento da cirurgia , que apos 15 dias nao foi observada. Na analise dos fluxos sanguineos dos enxertos propriamente ditos, encontrou-se um aumento de fluxo em relacao ao fluxo da arteria femoral previamente a confeccao das comunicacoes da ordem de 5,1 para a veia autologa e de 6,6 para a veia homologa e de 7,5 para 8,2 no momento da reoperacao. Houve aumentoa(au)
Palavra-chave Bioprótese
Anastomose Arteriovenosa
Derivação Arteriovenosa Cirúrgica
Fluxo Sanguíneo Regional
Artéria Femoral
Idioma Português
Data de publicação 2003
Publicado em São Paulo: [s.n.], 2003. 110 p.
Publicador Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 110 p.
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Tese de doutorado
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/19743

Exibir registro completo




Arquivo

Arquivo Tamanho Formato Visualização

Não existem arquivos associados a este item.

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta