Avaliacao da colonizacao por Staphylococcus aureus apos uso cronico de mupricin em pacientes em dialise peritoneal ambulatorial continua

Avaliacao da colonizacao por Staphylococcus aureus apos uso cronico de mupricin em pacientes em dialise peritoneal ambulatorial continua

Título alternativo Evaluation of Staphylococcus aureus colonization after chronic use of mupirocin in patients undergoing continuous ambulatory peritoneal dialysis
Autor Takei, Norma Litsuko Autor UNIFESP Google Scholar
Resumo Introdução: Pacientes em dialise peritoneal ambulatorial continua (CAPD) que sao portadores nasais cronicos de S. aureus apresentam alto risco para o desenvolvimento de peritonites. A incidencia de peritonites nos pacientes em CAPD tratados no Hospital São Paulo e Hospital do Rim e Hipertensao - Fundacao Oswaldo Ramos c de 1 /9 episodio/meses de tratamento. Pacientes com insufiCiência renal cronica terminal (IRCT), na maioria das vezes chegam ao Servico em urgencia dialitica sem via de acesso para dialise e sao submetidos a cateterizacao venosa central ou peritoneal. Estes procedimentos tem sido associados a alta morbidade, como episodios frequentes de infeccao (peritonites, bacteremias, endocardites), sendo a maioria por S. aurrus. Frente ao elevado numero de peritonites e infeccao do local de saida, foi estabelecido desde o ano de 2000, o uso habitual de mupirocin no orificio de saida do cateter pelos pacientes em programa de dialise peritoneal. Objetivos: Avaliar se o uso do mupirocin reduz a colonizacao por S. aurrus em pacientes submetidos a CAPD. Avaliar o perfil de sensibilidade dos S. aureus em relacao a oxacilma e analisar o perfil molecular das cepas de S. aurrus isoladas destes pacientes. Pacientes e Metodo: Foram incluidos 60 pacientes com IRCT em CAPD e colhidos com swab alginatado, uma amostra nasal e uma do or'f 'o de local de saida do cateter de Tenckhoff, totalizando 120 1 r'f amostras. Este material foi submetido a analise microbiologica para identificacao do S. aurrus segundo normas do NCCLS; uma vez selecionado a amostra, foi feita a determinacao da concentracao inibitoria minima (MIC) e tipagem molecular atraves da ribotipagem automatizada. Resultados: Das 120 amostras, foram isoladas 5 cepas (de tres pacientes) de S. aureus resistentes a oxacilina que apresentaram elevada concentracao minima inibitoria (MI256 g / ml). A tipagem molecular mostrou que as cepas apresentaram um perfil molecular com o mesmo ribotipo, sugerindo a possibilidade de disseminacao clonal deste microorganismo entre os paciente tratados nos servicos. Conclusao: Houve reducao significativa de colonizacao de S. aureus tanto no orificio de saida do cateter peritoneal como na mucosa nasal dos pacientes em CAPD apos o uso cronico de mupirocin. Foram encontradas poucas cepas de ORSA e nenhuma delas mostrou potencial risco para desenvolvimento de resistencia a vancomicina. Os S. aureus resistentes a oxacilina apresentaram atraves do perfil molecular o mesmo ribogrupo, o que pode indicar a transmissao deste microorganismo entre os pacientes
Palavra-chave Diálise Peritoneal Ambulatorial Contínua
Staphylococcus aureus
Mupirocina
Oxacilina
Idioma Português
Data de publicação 2003
Publicado em São Paulo: [s.n.], 2003. 119 p.
Publicador Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 119 p.
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Dissertação de mestrado
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/19704

Exibir registro completo




Arquivo

Arquivo Tamanho Formato Visualização

Não existem arquivos associados a este item.

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta