Avaliacao das fontes de dados, da tendencia e das caracteristicas dos homicidios em Montes Clarsos-MG, no periodo de 1991 a 2000

Avaliacao das fontes de dados, da tendencia e das caracteristicas dos homicidios em Montes Clarsos-MG, no periodo de 1991 a 2000

Título alternativo This study was to evaluete the systems of information on homicides in the country of Montes Claros - Minas Gerais state from 1991 to 2000 in order to know the true mortality rate
Autor Barros, Eugenio Antonio Lins de Autor UNIFESP Google Scholar
Resumo Os homicidios mudaram, nas ultimas decadas, o perfil epidemiologico da mortalidade no Brasil e no mundo, transformando-se numa das principais causas de morte, tornando-se uma das prioridades da Saúde Publica. As taxas de homicidios no Brasil cresceram na ultima decada de 20,9/100.000 habitantes em 1991 para 27/100.000 habitantes em 2000, sendo que em jovens de 20 a 24 anos passou de 35,2 para 52,1 /100.000 habitantes, numeros mais expressivos que aqueles referentes a muitos conflitos belicos espalhados pelo mundo. No Brasil os estudos sobre homicidios se concentram nas grandes metropoles e no perfil das vitimas, enfrentando o problema da credibilidade e da sensibilidade das informacoes geradas pelo Sistema de Informacoes sobre Mortalidade (SIM) do Ministerio da Saúde e de outras fontes como as dos Sistemas Policial e Judiciario. Este trabalho teve como objetivo avaliar a credibilidade e a sensibilidade das fontes de dados sobre homicidios no municipio de Montes Claros - MG no periodo de 1991 a 2000 para estabelecer a melhor estimativa do verdadeiro numero de homicidios ocorridos, alem de estender a analise as variaveis dos autores e do evento. As hipoteses levantadas foram as de que os numeros do SIM apresentaram um subregistro de obitos por homicidios e de que as variaveis apuradas no municipio, por ser este de porte medio, seriam diferentes daquelas encontradas nas grandes metropoles. Apesar das flutuacoes, os resultados indicaram uma tendencia ascendente nas taxas de homicidio entre 1991 e 2000. Combinando-se os dados sobre homicidios apurados nas seguintes fontes: laudos cadavericos do Instituto Medico-Legal; boletins de ocorrencia da Policia Militar; inqueritos policiais da Policia Civil; processos judiciais da Justica Criminal e declaracoes de obito do SIM, verificou-se um total de 297 homicidios, com sensibilidade de: 38 por cento para o SIM; 53 por cento para a Justica Criminal; 68 por cento para a Policia Militar; 70 por cento para a Policia Civil e 81 por cento para a Medicina Legal. A baixa sensibilidade observada no SIM se deveu principalmente ao fato que a Medicina Legal, que e fonte geradora dos dados que alimentam o Sistema de Mortalidade para mortes violentas, nao repassa, atraves das declaracoes de obito, as informacoes que possui. As demais fontes devem sua maior ou menor sensibilidade a caracteristicasa(au)
Palavra-chave Homicídio
Fontes de Dados
Características Humanas
Idioma Português
Data de publicação 2003
Publicado em São Paulo: [s.n.], 2003. 123 p.
Publicador Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 123 p.
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Dissertação de mestrado
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/19636

Exibir registro completo




Arquivo

Arquivo Tamanho Formato Visualização

Não existem arquivos associados a este item.

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta