Qualidade de vida de pessoas colostomizadas, com e sem o uso de metodos de controle intestinal

Qualidade de vida de pessoas colostomizadas, com e sem o uso de metodos de controle intestinal

Título alternativo Quality of life of colostomy people, using or not bowel control methods
Autor Cesaretti, Isabel Umbelina Ribeiro Autor UNIFESP Google Scholar
Resumo O estudo teve como objetivo principal: avaliar a qualidade de vida de pessoas colostomizadas, com e sem o uso de metodos de controle intestinal (MCI), ou seja, o uso associado de irrigacao e do sistema oclusor da colostomia. Metodo: Trata-se de um estudo epidemiologico, e foi desenvolvido no Setor de Estomizados do Ambulatorio Regional de Especialidades do Hospital Heliopolis. Utilizaram-se dois instrumentos para coletar os dados: o formulario de identificacao e o WHOQoLu abreviado, e a coleta se deu no periodo de outubro de 2005 a maio de 2006, apos a apreciacao e aprovacao do projeto pelos Comites de Etica em Pesquisa da Universidade Federal de São Paulo e do Hospital Heliopolis. A amostra foi constituida de 100 pessoas colostomizadas: 50, que usavam os dois metodos de controle intestinal (Grupo Com MCI = caso), e 50, que nao os utilizavam (Grupo Sem MCI = controle). As variaveis pesquisadas foram: sociodemograficas, clinicas e referentes a qualidade de vida. Os dados do estudo foram armazenados e analisados, utilizando o programa de software SPSS (Statistical Package for Social Sciences), versao 13.0. Resultados: Nao houve diferenca estatisticamente significante nas variaveis sociodemograficas e clinicas (Doenca de Base, Doenca Associada e Tratamento Adjuvante) quando se compararam os dados entre os dois Grupos. Por outro lado, ao se compararem as variaveis: Tempos de Colostomizado e de Acompanhamento no Servico entre os Grupos, houve diferenca estatisticamente significante, observando-se que as pessoas do Grupo com MCI estavam colostomizadas e sendo acompanhadas no Servico em periodo significativamente maior do que daquelas do Grupo sem MCI (p-valor <0,001). Referente a Qualidade de Vida, as pessoas colostomizadas do Grupo Com MCI tinham qualidade de vida significativamente melhor, sendo isso observado em todos os Dominios (DF =81, 93; DP= 82, 17; DRS = 80,33; DMA = 71,31) e na Qualidade de Vida Geral (17, 92) do que aquelas do Grupo Sem MCI (DF = 63, 07; DP = 66, 50; DRS = 65, 67; DMA = 59, 31 e Qualidade de Vida Geral = 15,04). Verificou-se, ainda, que quanto maiores os Tempos de Colostomizado, de Acompanhamento no Servico e de Uso do Sistema Oclusor, maior o escore de qualidade de vida no Dominio Fisico, e quanto maiores os Tempos de Colostomizado e de Acompanhamento no Servico, maiores os escores de qualidade de vida no Dominio Psicologico e na Qualidade de Vida Geral. Constataram-se, ainda, diferencas estatisticamente significantes entre os escores medios de qualidade de vida no Dominio Meio Ambiente e a variavel: Sexo, observando-se que o feminino apresentou maior valor de escore de qualidade de vida, e entre os escores medios obtidos nos Dominios Psicologico e Meio Ambiente e a variavel: Doenca de Base, onde as pessoas colostomizadas, que apresentavam neoplasia colo-retal, mostraram escores mais altos de qualidade de vida, quando comparadas as de Outras Causas de estoma. Conclusoes: O WHOQoL-abreviado mostrou-se confiavel e valido para medir a qualidade de vida das pessoas colostomizadas da amostra. Os resultados do estudo elucidaram a questao de pesquisa e a hipotese formulada, pois existem diferencas estatisticamente significativas entre a qualidade de vida das pessoas colostomizadas, que fazem uso de metodos de controle intestinal (Grupo Com MCI) em relacao aquelas que nao os utilizam (Grupo Sem MCI). Alem disso, a regressao logistica confirmou o uso dos MCI como fator de predicao de melhor qualidade de vida na amostra
Palavra-chave Qualidade de Vida
Colostomia/métodos
Colostomia/reabilitação
Estudos Epidemiológicos
Humanos
Idioma Português
Data de publicação 2008
Publicado em São Paulo: [s.n.], 2008. 160 p.
Publicador Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 160 p.
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Tese de doutorado
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/19566

Exibir registro completo




Arquivo

Arquivo Tamanho Formato Visualização

Não existem arquivos associados a este item.

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta