Analise de variaveis respiratorias apos hiperinsuflacao em modelo experimental pediatrico

Analise de variaveis respiratorias apos hiperinsuflacao em modelo experimental pediatrico

Título alternativo Analysis of respiratory variables after manual hyperinflation in pediatric experimental model
Autor Barcellos, Patricia Gombai Autor UNIFESP Google Scholar
Resumo Introdução: A hiperinsuflacao manual (HM) e uma tecnica aplicada atraves de uma bolsa autoinflavel para fornecer um volume corrente maior do que o basal aos pulmoes dos pacientes que utilizam protese ventilatoria (tubo intratraqueal) durante a ventilacao pulmonar mecanica. Demonstrou-se em pesquisas anteriores que a HM e efetiva em melhorar a complacencia pulmonar total e toracica, na resolucao de atelectasias, diminuicao da resistencia respiratoria e aumento da quantidade de secrecoes a aspiracao traqueal. Objetivo: Avaliar o PEF, durante a HM realizada por fisioterapeutas treinados, quando utilizada uma bolsa auto inflavel associada a diferentes niveis de PEEP em modelo pediatrico pre-escolar e escolar. Metodo: Estudo experimental realizado no periodo de novembro e dezembro de 2008 com modelo pediatrico utilizando valores de complacencia pulmonar e resistencia de vias aereas para as faixas etarias pre-escolar e escolar. Materiais: uma bolsa autoinflavel com reservatorio (Laerdal Silicone Resuscitators®) associada a uma valvula de pressao positiva expiratoria final (PEEP) tipo spring load conectada a saida exalatoria da bolsa. Durante a HM aplicou-se um fluxo continuo de ar comprimido a 5L/min. Os dados foram obtidos atraves de um pneumotacografo de orificios fixos (modelo pediatrico) posicionado entre a bolsa auto inflavel e um sistema de simulacao (acoplando resistencia e complacencia das vias aereas) e enviados a um monitor grafico (Monitor Grafico de Ventilacao Tracer 5®, Intermed) e transferidos para um computador atraves do programa WinTracer 3.3 beta®, Intermed. Modelo experimental: resistencia de vias aereas de 30 cmH2O/s/L-1, complacencia de 0,030 L/cmH2O (pre-escolar), 0,040 L/cmH2O (escolar) e de complacencia reduzida: 0.01 L/cmH2O, variacoes de PEEP de 0, 5, 8, 10 e 15 cmH2O para ambos modelos. Seis fisioterapeutas pediatricos realizaram insuflacoes por um minuto no sistema, com limitacao de pico de pressao inspiratoria em 30 cmH2O (atraves de visualizacao em manometro) e uma frequencia respiratoria de 30 ciclos por minuto. Resultados: Os PFEs obtidos reduziram significantemente com o aumento da PEEP (p ≤0,01), excecao encontrada apenas na complacencia 0,04 L/ cmH2O entre os niveis de PEEP 5 e 8 cmH2O (p=0,678). Conclusoes: Observou-se que neste modelo experimental houve reducao progressiva do PEF de acordo com o aumento dos niveis de PEEP ate 15 cmH2O, associado a diferenca do gradiente de pressao
Palavra-chave Respiração Artificial
Pico do Fluxo Expiratório
Modalidades de Fisioterapia
Pré-Escolar
Criança
Idioma Português
Data de publicação 2011
Publicado em São Paulo: [s.n.], 2011. 60 p.
Publicador Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 60 p.
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Tese de doutorado
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/19565

Exibir registro completo




Arquivo

Arquivo Tamanho Formato Visualização

Não existem arquivos associados a este item.

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta