Incompatibilidade no preparo e administração de terapia intravenosa em crianças

Incompatibilidade no preparo e administração de terapia intravenosa em crianças

Título alternativo Incompatibility during the prepare and administration of intyravenous drugs in children: association among drugs, solutions and materials of the catheters and disposable acessories
Autor Peterlini, Maria Angélica Sorgini Autor UNIFESP Google Scholar
Orientador Chaud, Massae Noda Autor UNIFESP Google Scholar
Resumo Pesquisa descritiva sobre a ocorrência de incompatibilidade entre fármacos, soluções e materiais dos cateteres e acessórios de terapia intravenosa administrada a crianças hospitalizadas, em quatro unidades pediátricas de um hospital universitário do município de São Paulo, no período de novembro de 1999 a novembro de 2000. A população da pesquisa foi composta por 107 profissionais, sendo 32 enfermeiras, seis técnicas de enfermagem e 69 auxiliares de enfermagem. A coleta dos dados foi realizada por meio de observação estruturada das execuções de terapia intravenosa desenvolvidas pelos membros da equipe de enfermagem. Foram identificadas 627 execuções de terapia intravenosa, sendo 84,7 por cento realizadas por 66 auxiliares de enfermagem, 9,4 por cento pelas seis técnicas de enfermagem e 5,9 por cento por quatro enfermeiras. As administrações de terapia intravenosa foram realizadas em 141 (67,5 por cento) cateteres de posicionamento periférico, confeccionados em vialon®, teflon® e aço inoxidável, e 68 (32,5 por cento) de posicionamento central, de poliuretano, inseridos em 178 crianças. As execuções de terapia intravenosa ocorreram em 614 acessórios, 45,5 por cento em equipos com câmara para controle de volume e 23,1 por cento em direcionadores de fluxo. O polivinil cloreto, associado ou não a outro material, esteve presente na totalidade dos acessórios de terapia intravenosa. Dos 41 fármacos identificados em 519 execuções de terapia intravenosa, os mais freqüentes foram heparina sódica (17,7 por cento), cloridrato de vancomicina (10,8 por cento), sulfato de amicacina (7,5 por cento), ceftriaxona sódica (7,1 por cento) e cloridrato de midazolam (6,2 por cento). Das 95 execuções de soluções intravenosas, 52,6 por cento foram de soro de manutenção, 25,3 por cento de nutrição parenteral total e 20,0 por cento de soro para manutenção contínua do cateter. Dentre as 195 reconstituições e 399 diluições dos fármacos, respectivamente, 9,2 por cento e 2,3 por cento foram incompatíveis com o diluente. Das 627 execuções de fármacos e soluções, foram identificadas, quanto aos materiais de confecção dos cateteres intravenosos, 2,5 por cento de incompatibilidades e em 97,5 por cento não foi encontrada na literatura consultada estudos sobre incompatibilidade. Em relação aos materiais de fabricação dos acessórios da terapia intravenosa, 16,4 por cento foram incompatíveis e 33,4 por cento faltam evidências científicas referentes à incompatibilidade. Em 224 …(au).
Palavra-chave Enfermagem pediátrica
Infusões intravenosas
Incompatibilidade de medicamentos
Estabilidade de medicamentos
Idioma Português
Data de publicação 2003
Publicado em São Paulo: [s.n.], 2003. 176 p.
Publicador Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 176 p.
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Tese de doutorado
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/19559

Exibir registro completo




Arquivo

Arquivo Tamanho Formato Visualização

Não existem arquivos associados a este item.

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta