O significado da queixa de dificuldade de memoria em clinica geriatrica

O significado da queixa de dificuldade de memoria em clinica geriatrica

Título alternativo The meaning of memory loss complain in a Brazilian geriatric population
Autor Minett, Thais Soares Cianciarullo Autor UNIFESP Google Scholar
Resumo Objetivo: Avaliar se a queixa subjetiva de dificuldade de memoria esta associada ao desempenho objetivo em testes cognitivos, demencia ou depressao em uma populacao geriatrica brasileira; e quais os testes neuropsicologicos usados na investigacao dessa queixa foram mais sensiveis na deteccao precoce de uma sindrome demencial. Metodos: Estudo longitudinal que acompanhou, por cerca de dois anos, 114 pacientes acima de 50 anos com e sem queixas de memoria e sem sindrome demencial obvia (selecionados de acordo com niveis de corte diferenciados para escolaridade do Miniexame do Estado Mental). Os pacientes foram avaliados quanto a queixa de dificuldade de memoria, dados demograficos, e foram submetidos a uma bateria neuropsicologica composta de dez testes cognitivos e da Escala de Depressao Geriatrica. Resultados: Na 1 a avaliacao, 21 por cento dos pacientes apresentaram queixa de dificuldade de memoria. Esses pacientes tiveram escores equivalentes aos pacientes sem queixas em todos os testes cognitivos, porem apresentaram escores mais altos na Escala de Depressao Geriatrica. Na 2a avaliacao, 14 por cento dos pacientes que completaram o seguimento evoluiram para sindrome demencial. A analise multivariada mostrou que a queixa subjetiva de memoria nao previu uma evolucao para sindrome demencial. Alem disso, a queixa subjetiva de memoria nao contribuiu para a previsao de piora no desempenho cognitivo em nenhum dos testes utilizados. Os pacientes com queixas de memoria continuaram apresentando mais sintomas depressivos do que os pacientes sem queixas na 2a avaliacao. A analise por regressao logistica mostrou que os testes neuropsicologicos mais sensiveis na deteccao de evolucao para sindrome demencial foram os testes de Reproducao Visual (p= 0,022) e Trilhas (p= 0,030). Ademais, esses dois testes foram as unicas, dentre todas as variaveis estudadas, capazes de contribuir significantemente para a previsao de demencia. Conclusoes: A queixa de dificuldade de memoria em idosos nao anunciou uma sindrome demencial nem piora no desempenho cognitivo no intervalo de dois anos. A queixa subjetiva de memoria foi associada a uma maior quantidade de sintomas depressivos. O conjunto constituido pelo teste de Trilhas e pelo teste de Reproducao Visual foi o mais promissor para detectar deterioracao cognitiva futura
Palavra-chave Memória
Demência
Depressão
Cognição
Idoso
Idioma Português
Data de publicação 2003
Publicado em São Paulo: [s.n.], 2003. 104 p.
Publicador Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 104 p.
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Tese de doutorado
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/19519

Exibir registro completo




Arquivo

Arquivo Tamanho Formato Visualização

Não existem arquivos associados a este item.

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta