Forca muscular perineal no pos-parto tardio

Forca muscular perineal no pos-parto tardio

Título alternativo Perineal muscular strength of late post-labor: evaluation in primiparous women
Autor Menta, Silmara Silveira Autor UNIFESP Google Scholar
Resumo O uso seletivo da episiotomia durante o expulsivo tem sido recomendado desde 1996 pela Organizacao Mundial da Saúde como uma das medidas para a reducao das condutas intervencionistas no processo fisiologico da parturicao. Este estudo teve por objetivos identificar os valores da Forca Muscular Perineal em duas posicoes (deitada/sentada) e dois estados musculares (repouso/esforco) entre primipuerperas, segundo o tipo e caracteristicas do parto e determinar a associacao entre a Forca Muscular Perineal e as variaveis independentes e de controle selecionadas. Trata-se de um estudo transversal, analitico e descritivo com abordagem quantitativa. A pesquisa foi realizada no Hospital Amparo Maternal, instituicao privada conveniada ao Sistema unico de Saúde do Municipio de São Paulo no periodo de abril a julho de 2002. A amostra foi constituida por 95 primipuerperas a termo que retornaram a instituicao para a consulta puerperal, sendo 22 de parto cesarea, 18 de parto vaginal com perineo integro, 23 com rotura perineal e 32 com episiotomia. 0 retorno ocorreu entre o 40 e 45° dia posparto, onde foram realizados: entrevista, exame fisico e mensuracao da Forca Muscular Perineal por meio do perineometro de Kegel. A perineometria foi feita nas posicoes deitada repouso/esforco e sentada repouso/esforco, havendo tres afericoes em cada posicao para a obtencao da media simples, totalizando 12 mensuracoes para cada mulher. Os resultados demonstraram 18,9; 30,7; 34,5; 46,5 mmHg como medias da Forca Muscular Perineal nas quatro posicoes, respectivamente. Na comparacao entre a Forca Muscular Perineal e as variaveis independentes: faixa etaria, cor da pele, situacao marital, indice de Massa Corporea, tipo e caracteristicas do parto, peso do recem-nascido; e as variaveis de controle: queixas urinarias e intestinais nao houve diferenca estatistica significante. Para a variavel tempo de internacao, detectou-se maior forca muscular perineal entre as mulheres com periodo inferior a 120 ou superior a 1.801 minutos (p < 0,01) nas situacoes deitada esforco e sentada repouso/esforco. A variavel retorno a atividade sexual apresentou significancia com p<0,05 para a situacao deitada repouso, identificando-se maior forca nas mulheres que nao retornaram. A avaliacao da Forca Muscular Perineal no retorno pos-parto permite a mulher o esclarecimento sobre seu estado muscular perineal e, se indicado, o recebimento de orientacoes e ate inclusao em programas de exercicios supervisionados que conduzem a preservacao da funcionalidade perineal e melhora na qualidade de vida
Palavra-chave Períneo/lesões
Parto
Diafragma da Pelve
Período Pós-Parto
Idioma Português
Data de publicação 2003
Publicado em São Paulo: [s.n.], 2003. 107 p.
Publicador Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 107 p.
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Dissertação de mestrado
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/19501

Exibir registro completo




Arquivo

Arquivo Tamanho Formato Visualização

Não existem arquivos associados a este item.

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta