O impacto da gravidez e do parto na ocorrência de anemia ferropriva e sobre o estado corporal do ferro, em adolescentes e adultas

O impacto da gravidez e do parto na ocorrência de anemia ferropriva e sobre o estado corporal do ferro, em adolescentes e adultas

Título alternativo The impact of pregnancy and labor on the occurence of iron deficiency anemia and on body iron levels of adolescent and adult women
Autor Soares, Nestor Nurdan Autor UNIFESP Google Scholar
Orientador Mattar, Rosiane Autor UNIFESP Google Scholar
Resumo Objetivos: comparar a prevalência de anemia ferropriva e estado corporal de ferro, através de parâmetros hematológicos, em nulíparas adolescentes e adultas, durante a primeira metade da gravidez (9 a 16 semanas), na segunda metade (29 a 36 semanas), no anteparto e pós-parto imediato, durante a internação hospitalar, e, no pós-parto entre o trigésimo e sexagésimo dia puerperal. Avaliar o impacto da via de parto (vaginal e cesariana) sobre a perda hemática nas mesmas grávidas, comparando os parâmetros laboratoriais relativos ao estoque e o estado de ferro corporal. Pacientes e métodos: foram acompanhadas e comparadas 183 mulheres, sendo 61 adolescentes e 122 adultas, durante cinco períodos do ciclo grávido-puerperal, utilizando-se os seguintes exames laboratoriais: hemoglobina, hematócrito, volume corpuscular médio (VCM), hemoglobina corpuscular média (HCM), concentração da hemoglobina corpuscular média (CHCM), índice de anisocitose (RDW), ferro sérico, transferrina, índice de saturação da transferrina (IST) e ferritina. Resultados: a anemia ferropriva, caracterizada pela hemoglobina inferior a 11g/dl ocorreu nas mulheres adolescentes (32,8%) e adultas (36,9%). Ela foi mais prevalente na segunda metade da gravidez (2ª avaliação) e pós-parto imediato (4ª avaliação), havendo recuperação no puerpério (5ª avaliação). Não houve diferença estatisticamente significativa da anemia nos dois grupos de mulheres. O estado corporal de ferro, analisado pelos valores da ferritina inferiores a 12 g/l ocorreu em 38,3% de todas as mulheres, sendo 54,1% nas adolescentes e 37,7% nas adultas, tendo variação significativa (p<0,04). Quanto à via de parto, a cesariana ofereceu maior perda sangüínea que o parto vaginal, detectada pela dosagem da hemoglobina. Entretanto, não se observou diferenças estatísticas significantes (p>0,05) no mesmo tipo de parto das adolescentes e adultas. Conclusões: A prevalência de anemia ferropriva nas adolescentes e adultas, foi estatisticamente semelhante durante o ciclo grávido-puerperal, contudo, adolescentes tiveram maior depleção dos estoques de ferro, sendo significante do ponto de vista estatístico. Mulheres adolescentes e adultas submetidas a acompanhamento semelhante no ciclo grávido-puerperal, têm a mesma prevalência de anemia ferropriva, mas, as adolescentes sofrem maior redução dos estoques de ferro orgânico..
Palavra-chave Anemia Ferropriva
Gravidez
Parto
Gravidez na Adolescência
Cesárea
Anemia, Iron-Deficiency
Pregnancy
Parturition
Pregnancy in Adolescence
Cesarean Section
Idioma Português
Data de publicação 2008
Publicado em São Paulo: [s.n.], 2008. 130 p.
Publicador Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 130 p.
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Tese de doutorado
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/19099

Exibir registro completo




Arquivo

Arquivo Tamanho Formato Visualização

Não existem arquivos associados a este item.

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta