Analise ultra-estrutural da lamina propria gengival de ratos diabeticos induzidos com estreptozotocina

Analise ultra-estrutural da lamina propria gengival de ratos diabeticos induzidos com estreptozotocina

Título alternativo Analyse ultrastructural of lamina pr'pria of gingiva of diabetic rats streptozotocina-induced
Autor Mezadri, Marcia Ghisi Autor UNIFESP Google Scholar
Resumo Objetivo: Estudar os efeitos da diabete melito experimental na variacao ultra-estrutural de alguns componentes da lamina propria gengival de ratos. Material e Metodos: Foram utilizados ratos machos, adultos, divididos em dois grupos: Grupo I:Controle - Os animais deste grupo, nao receberam nenhum tipo de droga ou veiculo. Grupo li: Diabetico - os animais receberam injecao de Estreptozotocina (Sigma®), na dose unica de 60 mg/Kg de peso, via intraperitonial, diluida em 0,3 ml de solucao de tampao citrato 0,1 M. As glicemias foram mensuradas, utilizando-se aparelho Advantage (Roche®) com sangue de veia da cauda dos animais. Foram considerados diabeticos os ratos cujos valores de glicemia foram iguais ou superiores a 250 mg/dL. Fragmentos de gengiva da regiao lingual de molares inferiores foram processados para analise em microscopia eletronica de transmissao (Luft, 1961; Harven, 1967). A localizacao e identificacao ultra-estrutural dos glicosaminoglicanos foram estudadas utilizando o corante azul de cuprolinico e enzimas Condroitinase-ABC e Concroitinase-AC (van Kuppevelt et ai., 1984). A analise dos cortes ultrafinos e suas eletromicrografias foram realizadas em Microscopio Eletronico de Transmissao da marca Carl Zeiss modelo EM-900, sob tensao de 80 kV. Resultados: Os animais do grupo diabetico apresentaram fibroblastos aparentemente ativos, com organelas evidenciando a sintese e secrecao de constituintes da matriz. Estes parecem estar mais ativos na sintese de elementos da substancia amorfa, o que explicaria, o aumento de espacos claros entre as celulas, provavelmente preenchidos por glicosaminoglicanos ou acumulo de liquido. A distribuicao de precipitados cuprolinico-positivos mostrou-se diminuida e mais dispersa nos animais diabeticos. Os resultados das gengivas que sofreram a acao enzimatica mostraram que ocorre uma variacao qualitativa e quantitativa na concentracao de glicosaminoglicanos em animais diabeticos havendo uma perda estatisticamente significativa na quantidade de glicosaminoglicanos e que o maior percentual de perda ocorreu na concentracao de Condroitim Sulfato. Conclusoes: Parece-nos licito, frente a esses resultados, concluir que a diabete melito experimental atua, de maneira efetiva, na variacao qualitativa e quantitativa nos constituintes da lamina propria gengival
Palavra-chave Gengiva/ultraestrutura
Diabetes Mellitus
Glicosaminoglicanas
Idioma Português
Data de publicação 2004
Publicado em São Paulo: [s.n.], 2004. 87 p.
Publicador Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 87 p.
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Tese de doutorado
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/18929

Exibir registro completo




Arquivo

Arquivo Tamanho Formato Visualização

Não existem arquivos associados a este item.

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta