Aspectos emocionais de crianças com e sem constipação crônica

Aspectos emocionais de crianças com e sem constipação crônica

Título alternativo Emotional aspects in children with or without chronic constipation
Autor Lisboa, Valéria Cristina Antunes Autor UNIFESP Google Scholar
Orientador Morais, Mauro Batista de Autor UNIFESP Google Scholar
Resumo Objetivo: comparar aspectos emocionais de criancas com e sem constipacao cronica. Metodologia: Foram estudadas 14 criancas com constipacao cronica funcional e 14 com habito intestinal normal, para comparar os aspectos emocionais presentes nos dois grupos. Tais aspectos foram coletados a partir de uma entrevista semi-dirigida com as maes e o relato de uma historia a partir de uma prancha do Teste de Apercepcao Tematica Infantil - Figuras Humanas (C.A.T.-H) com as criancas. A partir das entrevistas e dos relatos observou-se a percepcao das maes sobre alguns aspectos emocionais das criancas, aspectos relacionados a dinamica familiar e a percepcao da crianca em relacao aos pais. Resultados: Em relacao ao discurso da mae observou-se diferenca sobre: 1.) o estado de Saúde geral da crianca, em que a proporcao de criancas com constipacao consideradas como,0 nao sendo saudaveis (80,0 por cento) foi estatisticamente superior (p= 0,002) em relacao ao grupo controle (9,1 por cento); 2.) a intolerancia a frustracao nas criancas foi estatisticamente mais frequente (p=0,0007) nas criancas com constipacao (83,3 por cento) do que naquelas com habito intestinal normal (7,7 por cento); 3.) a presenca de fracasso escolar nas criancas foi estatisticamente superior (p = 0,0002) no grupo de criancas constipadas (72,7 por cento) do que no grupo de criancas com habito intestinal normal (0,0 por cento); 4.) a alteracao e/ou de mudanca de comportamento foi maior (p = 0,0002) no grupo de constipados (85,7 por cento) em relacao ao grupo com habito intestinal normal (7,7 por cento); 5.) a existencia de agressividade nas criancas, esteve presente com maior frequencia (p = 0,03) no grupo de constipados (69,2 por cento) do que no grupo com habito intestinal normal (21,4 por cento); 6.) criancas com habito intestinal normal sao percebidas em maior numero como amadas e/ou desejadas (78,6 por cento) em relacao ao grupo com constipacao (0,0 por cento), mostrando uma diferenca estatistica significante (p = 0,0002); 7.) a imagem da crianca rebelde e que se nega a colaborar com os adultos, esteve mais presente (p < 0,001) no grupo com constipacao (83,3 por cento) que no grupo controle (7,7 por cento); 8.) a angustia da mae em relacao a doenca e/ou ao comportamento da crianca mostra uma diferenca estatistica entre os grupos (p = 0,001), ocorrendo uma maior incidencia no grupo dos constipados (91,6 por cento) que no grupo com habito intestinal normal (21,4 por cento); 9.) aspectos depressivos nos discursos das maes mostrou-se estatisticamente significante (p = 0,0001), sendo mais frequente no grupo de constipados (90,0 por cento) do que no grupo com habito intestinal normal (7,7 por cento). Em relacao ao ambiente familiar, segundo a informacaoa(au)
Palavra-chave Criança
Constipação intestinal
Psicanálise
Pediatria
Equipe de assistência ao paciente
Idioma Português
Data de publicação 2004
Publicado em São Paulo: [s.n.], 2004. 118 p.
Publicador Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 118 p.
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Dissertação de mestrado
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/18924

Exibir registro completo




Arquivo

Arquivo Tamanho Formato Visualização

Não existem arquivos associados a este item.

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta