Influencia do numero de copias do gene da enzima conversora de angiotensina I no controle reflexo da pressao arterial em camundongos

Exibir registro simples

dc.contributor.author Ceroni, Alexandre [UNIFESP]
dc.date.accessioned 2015-12-06T23:03:17Z
dc.date.available 2015-12-06T23:03:17Z
dc.date.issued 2004
dc.identifier.citation São Paulo: [s.n.], 2004. 90 p.
dc.identifier.uri http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/18903
dc.description.abstract O estudo do sistema cardiovascular do camundongo vem recebendo crescente atencao uma vez que muitas das ferramentas geneticas disponiveis tem sido aplicadas a essa especie. No estudo da genetica da hipertensao, os efeitos sitsemicos de mutacoes em genes candidatos tem sido avaliados. Dessa forma a inativacao do gene da enzima conversora de angiotensina (ECA) em camundongos induzindo ausencia da ECA reduz a pressao arterial (PA), indicando que o gene da ECA e essencial para a manutencao da PA normal. Dessa forma, variacoes na sintese da enzima conversora da angiotensina (ECA) poderiam estar relacionadas com variacoes na PA. Entretanto, experimentos anteriores mostraram que a PA de camundongos com diferentes numeros de copias do gene da ECA , obtida de maneira indireta, se mantem inalterada, apesar de haver variacoes da atividade da enzima no soro. O objetivo deste trabalho foi avaliar o controle neurogenico da PA em camundongos normais e transgenicos com diferente numero de copias do gene da ECA, pela medida da PA, frequencia cardiaca (FC) e sensibilidade baroreflexa em condicoes basais e apos a implantacao cirurgica de um clipe na arteria renal. Em uma primeira etapa deste trabalho realizamos experimentos com animais controle (C57BL6/J) nos quais executamos avaliacoes hemodinamicas, registro da atividade do nervo depressor aortico e desnervacao sino-aortica com o objetivo de estabelecer referencias de normalidade para este modelo. Em uma segunda etapa foram estudados camundongos transgenicos (n=27) sendo divididos em 4 grupos de acordo com o numero de copias do gene da enzima conversora da angiotensina (de 1 a 4 copias). A arteria carotida e veia jugular foram canuladas para registro da pressao intra-arterial e administracao de drogas vasoativas. Os sinais de PA e FC foram registrados batimento a batimento com uma frequencia de amostragem de 3000 hertz por canal atraves do programa AT/CODAS (DataQ Instruments, lnc., Ohio, USA). Em uma terceira etapa foram estudados camundongos transgenicos implantados em sua arteria renal direita com um clipe de prata em formato de U com medida de abertura interna de 0,12 mm. Estes animais foram divididos em tres grupos: A)animais contendo 2 copias para o gene da ECA sem clipe na arteria renal (n=5), B) animais contendo 2 copias para o gene da ECA contendo clipe na arteria renal(n=5) e C) animais de 3 copias contendo clipe na arteria renal (n=5)a(au) pt
dc.format.extent 90 p.
dc.language.iso por
dc.publisher Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
dc.rights Acesso restrito
dc.subject Pressão Arterial pt
dc.subject Camundongos Transgênicos pt
dc.subject Peptidil Dipeptidase A pt
dc.title Influencia do numero de copias do gene da enzima conversora de angiotensina I no controle reflexo da pressao arterial em camundongos pt
dc.title.alternative Influence of angiotensin converting enzyme gene copies in reflex control of blood pressure in mice en
dc.type Tese de doutorado
dc.identifier.file epm-019724.pdf
dc.description.source BV UNIFESP: Teses e dissertações
unifesp.campus Universidade Federal de São Paulo, Escola Paulista de Medicina pt



Arquivo

Arquivo Tamanho Formato Visualização

Não existem arquivos associados a este item.

Este item está nas seguintes coleções

Exibir registro simples

Buscar


Navegar

Minha conta