Participacao dos nervos renais no curso temporal da hipertensao induzida pelo bloqueio da sintese do oxido nitrico

Participacao dos nervos renais no curso temporal da hipertensao induzida pelo bloqueio da sintese do oxido nitrico

Título alternativo Role of renal nerves in time course of hypertension by nitic oxide synthase blockade: hemodynamic, biochemical and molecular evaluations
Autor Fiorino, Patricia Autor UNIFESP Google Scholar
Resumo O sistema nervoso simpatico esta tonicamente ativo e participa da regulacao fisiologica do tonus vascular em individuos normais. Por outro lado existem inumeras evidencias que sugerem diferentes alteracoes da atividade simpatica para diferentes atos vasculares na hipertensao. Muitas sao as evidencias de que praticamente todos os feitos da atividade nervosa simpatica renal (ANSR) tem o potencial de contribuir para a iniciacao, desenvolvimento e manutencao da hipertensao. Desta forma a proposta de trabalho foi avaliar a participacao temporal dos nervos renais na hipertensao pela inibicao farmacologica do oxido nitrico (L-NAME), medida em 3 momentos: na hipertensao aguda (HA) e na hipertensao cronica de 7 (H7) e 30 dias (H30 . O L-NAME aumentou a PAM de forma semelhante (40 por cento), em todos os grupos atados, e reduziu a FC apenas no grupo HA (Δ=- 20 ± 12 bpm). A avaliacao da sensibilidade barorreflexa mostrou atenuacao da bradicardia em H7 e H30, e da taquicardia tambem em H30. A avaliacao das respostas de aumento(pressora) e reducao (depressora) da PAM, apos fenilefrina e nitroprussiato de sodio, mostraram reducao do perfil da resposta pressora e aumento da depressora no grupo HA sem diferencas significativas nos grupos H7 e H30. Inversamente, as maiores respostas depressoras foram observadas no grupo HA, entretanto os grupos H7 e H30 tambem apresentaram respostas de queda de PAM maiores que no grupo normotenso (Nt). Alem da desautonomia ja descrita, o estudo do parassimpatico cardiaco tambem se mostrou modificado, tanto pela estimulacao eletrica, reduzida em H7, quanto pela metacolina, reduzida em H7 e H30. No grupo HA o aumento da PAM foi acompanhado de reducao da ANSR em 73poe cento quando comparado ao periodo basal. A retirada das aferencias barorreceptoras, levou ao aumento da PAS em mais 27 por cento, com retorno da ANSR a normalidade, sugerindo que tal inibicao seria mediada pelos barorreceptores. Em H7 observamos hipertonia simpatica e retorno desta atividade a valores normais em H30. Independente da resposta da atividade simpatica basal, todos os grupos hipertensos apresentaram reducao da sensibilidade barorreflexa obtida nas variacoes espontaneas da PAS. O mesmo nao foi observado no barorreflexo obtido apos as variacoes induzidas da PAS, onde a resposta ANSR aumentou em H7. Somando-se a estes achados, a analise no dominio da frequencia que mostrou, pelo calculo do indice alfa e conhecido preditor da sensibilidade barorreflexa, atenuacao das respostas em H7 e H30, quando comparado ao grupo Nt. A retirada das inervacoes simpaticas pela DRB levou a reducao significativa da PAM em H7 e melhora da resposta barorreflexa nos grupos hipertensos cronicos. Ouanto a atividade das enzimas renina e ECA, nossos resultados mostraram reducao da ARP e da ECA serica em H7. Por outro lado a ECA renal aumentou em H7. A expressao das enzimas NOS induzivel e endotelial aumentaram nos grupos H7 e H30. A DRB reduziu a ARP e aumentou a expressao da eNOS. Analisando esses resultados em conjunto e sob o ponto de vista temporal podemos sugerir que na fase inicial da hipertensao (HA) os nervos renais nao contribuam para a hipertensao. No grupo H7 se observou nitidamente aumento da ANSR, demonstrada tambem pela reducao da PA apos a DRB, acompanhada de alteracoes hemodinamicas, autonomicas e renais. Mesmo que em H30 a ANSR tenha retornado para valores proximos da normalidade, muitas das variaveis estudadas permaneceram modificadas pela hipertensao. Essas diferencas sugerem mecanismos fisiopatologicos da hipertensao associados ao tempo de tratamento, uma vez que a dose empregada foi a mesma. De forma reducionista, podemos concluir que os nervos renais estao envolvidos diferentemente no curso temporal da hipertensao pelo L-NAME
Palavra-chave Óxido Nítrico
SISTEMA NERVOS SIMPATICO
Nervos Periféricos
Hipertensão
Idioma Português
Data de publicação 2004
Publicado em São Paulo: [s.n.], 2004. 131 p.
Publicador Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 131 p.
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Tese de doutorado
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/18857

Exibir registro completo




Arquivo

Arquivo Tamanho Formato Visualização

Não existem arquivos associados a este item.

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta