Lesão de sarcolema em músculo respiratório e periférico de ratos induzida pela exposição a fumaça de cigarro

Lesão de sarcolema em músculo respiratório e periférico de ratos induzida pela exposição a fumaça de cigarro

Título alternativo Sarcolemmal damage in respiratory and peripheral muscles of rats induced by cigarette smoke exposure
Autor Mayer, Anamaria Fleig Autor UNIFESP Google Scholar
Orientador Jardim, José Roberto Autor UNIFESP Google Scholar
Resumo Introdução: A deterioracao muscular periferica e uma condicao progressiva da DPOC e diversos fatores estao relacionados ao seu aparecimento e gravidade, entretanto o tabagismo nunca havia sido estudado como potencial fator. Objetivos: Investigar se a exposicao aguda (2 horas) e sub-aguda (5 dias e 25 dias) a fumaca de cigarro causa aumento na permeabilidade do sarcolema elou na proporcao e morfometria das fibras dos musculos diaphragma e vasto lateral de ratos; validar um modelo de exposicao a fumaca de cigarro. Material e Metodos: O modelo de exposicao ao cigarro e constituido de uma camara de acrilico com capacidade para expor oito ratos simultaneamente; 21 ratos foram expostos uma unica vez por duas horas e sacrificados imediatamente (0 h; n = 4), apos duas (2 h; n = 4), quatro (4 h; n = 4), 24 (24 h; n = 4) e 48 horas (48 h; n = 5) da exposicao. Quatro ratos serviram de controle. A camara recebia a fumaca de cigarro (50-100ml/min) e ar comprimido (5L/min) para manter uma concentracao de monoxido de carbono entre 45-55 ppm no seu interior. Analisou-se a carboxihemoglobina (HbCO) e a cotinina serica dos animais. Os efeitos do cigarro nos musculos diaphragma e vasto lateral foram avaliados em 48 ratos, em modelos de exposicao de duas horas (E2h; n=16), de cinco dias (E5d; n=8) e de 25 dias (E25d; n=8). Cada grupo tinha o seu respectivo grupo controle (C2h, C5d e C25d), composto de quatro ratos cada. Apos 24 horas do termino das exposicoes os ratos foram sacrificados e seus musculos retirados para analise. Permeabilidade do sarcolema foi avaliado com o anticorpo anti-albumina, considerado lesao quando eram de grau 2 e 3. Proporcao e morfometria de fibras foram analisados com anti-corpos monoclonais para miosina I e II. Resultados: No modelo de validacao do metodo, houve aumento da HbCO imediatamente apos a exposicao (3 por cento) comparado ao controle (0 por cento) e da cotinina nos tempos 0 h, 2 h e 4 h apos a exposicao (17 ± 4, 12 ± 9 e 13 ± 6, respectivamente, vs. 0 ng/ml no grupo controle). No diaphragma e no vasto lateral as medias fibras com lesoes de sarcolema foram 41,3 ± 19,2 e 18,8 ± 13,6 (E2h), 51,9 ± 26,5 e 17,8 ± 15,0 por cento (E5d), 33,3 ± 23,3 e 10,0 ± 10,5 por cento (E25d), respectivamente, comparado a 17,9 ± 15,5 e 4,1 ± 4,7 por cento no grupo controle. Os grupos E5d e E25d apresentaram aumento no tamanho de fibras do tipo I e II (p<0,05) Conclusao: O metodo testado mostrou-se seguro e eficiente para expor ratos a fumaca de cigarro. A exposicao aumentou a permeabilidade do sarcolema nos ratos expostos por duas horas e por cinco dias, o que nao ocorreu no grupo exposto por 25 dias. Estes achados foram mais pronunciados no diaphragma
Palavra-chave Músculo esquelético
Músculos respiratórios
Sarcolema
Ratos
Transtorno por uso de tabaco
Idioma Português
Data de publicação 2004
Publicado em São Paulo: [s.n.], 2004. 112 p.
Publicador Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 112 p.
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Tese de doutorado
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/18743

Exibir registro completo




Arquivo

Arquivo Tamanho Formato Visualização

Não existem arquivos associados a este item.

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta