Influência da epilesia na expectativa de vida de ratos adultos submetidos ao modelo experimental induzido pela pilocarpina

Influência da epilesia na expectativa de vida de ratos adultos submetidos ao modelo experimental induzido pela pilocarpina

Título alternativo Effects of aging on rats with chronic seizures
Autor Bonone, Filipe Meneguelli Autor UNIFESP Google Scholar
Orientador Cavalheiro, Esper Abrão Autor UNIFESP Google Scholar
Resumo Objetivo: Observar a influencia da epilepsia induzida pelo modelo da pilocarpina na expectativa de vida de ratos atraves da observacao continua dos animais (24 h/dia) no periodo de 16 meses. Material e Metodos: Foram utilizados ratos machos, albinos, da raca Wistar, procedentes do Bioterio Central da Universidade Federal de São Paulo. Estes animais tiveram condicoes ambientais controladas como ciclo claro-escuro de 12 horas, temperatura constante de 21 °C e livre acesso a agua e comida. Os animais foram pre-tratados com uma injecao subcutanea de metil-escopolamina (1 mg/kg), 30 minutos antes da administracao de pilocarpina (320mg/Kg, ip). Nos animais que entraram em status epilepticus (SE), depois de 5 horas nestas condicoes, foi administrada uma injecao ip de diazepam (1mg/kg). Os animais que sobreviveram ao SE foram observados 24h/dia ate o obito ou, no maximo, por 16 meses. Os ratos que evoluiram a obito, durante o periodo de estudo, tanto controles quanto experimentais, tiveram seus orgaos retirados e encaminhados ao laboratorio de patologia da Universidade Federal de São Paulo, onde foram processados e corados com hematoxilia e eosina para analise e diagnostico das possiveis alteracoes que os levaram a morte. Os animais que tiveram sobrevida maior que 18 meses tiveram seus cerebros analisados, por estudo histologico, com as coloracoes de Neo-Timm e Nissl. Resultados: Os animais apresentaram um tempo de latencia para primeira crise espontanea que variou entre 7 e 58 dias. A frequencia das crises espontaneas variou entre 8 e 26 crises, em media, por mes, para os animais de menor e maior frequencia, respectivamente. Tais valores de latencia e frequencia de crises nao foram diferentes daqueles previamente encontrados em nosso laboratorio. Considerando o conjunto de animais do grupo experimental, a media das crises respeitou um padrao evolutivo ascendente nos primeiros 10 meses com uma frequencia de 3-6 crises em media por semana que, no 11 ° mes se estabilizou, permanecendo com uma frequencia de 4-5 crises em media, por semana, ate o fim da monitoracao (16 meses de observacao ou 18 meses de vida). Nao foi observada nenhuma relacao entre a expectativa de vida e a frequencia de crises dos animais, tao pouco, com o periodo de latencia para primeira crise recorrente Entretanto, a sobrevida dos animais experimentais foi menor (11.8±5.4 meses de vida) quando comparada aquela do grupo controle (15.5±3.5 meses de vida). No estudo patologico, todos os animais, controles ou experimentais, morreram por uma debilidade sistemica secundaria a um processo infeccioso grave (pneumonia com multiplos abscessos) que, em alguns casos, evoluiu para septicemia. Conclusao: Os animais experimentais tiveram um menor tempo de vida em relacao aos controles. Essa diminuicao do tempo de vida nao esteve relacionada a frequencia ou caracteristicas gerais das crises epilepticas espontaneas. Porem, aparentemente, a causa da morte foi semelhante para os dois grupos, o que nos leva a crer que a epilepsia poderia estar de alguma forma provocando alteracoes fisiologicas nos animais epilepticos antecipando sua morte. Para podermos confirmar essa hipotese e necessario um estudo detalhado das possiveis alteracoes sistemicas decorrentes da propria condicao epileptica responsaveis pela menor expectativa de vida encontrada nos animais epilepticos cronicos
Palavra-chave Epilepsia
Pilocarpina
Envelhecimento
Expectativa de vida
Infecção
Idioma Português
Data de publicação 2004
Publicado em São Paulo: [s.n.], 2004. 44 p.
Publicador Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 44 p.
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Dissertação de mestrado
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/18726

Exibir registro completo




Arquivo

Arquivo Tamanho Formato Visualização

Não existem arquivos associados a este item.

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta