Pesquisa de Mycobacterium leprae em tatus selvagens da especie Dasypus novemcinctus do estado do Espirito Santo

Pesquisa de Mycobacterium leprae em tatus selvagens da especie Dasypus novemcinctus do estado do Espirito Santo

Título alternativo Mycobacterium leprae research in wild armadillos of the Dasypus novemcinctus specie from Espirito Santo state - Brazil
Autor Deps, Patricia Duarte Autor UNIFESP Google Scholar
Resumo Introdução: Realizou-se um estudo de prevalencia em 52 tatus selvagens da especie Dasypus novemcinctus, capturados no estado do Espirito Santo, no periodo de junho de 2000 a julho de 2001. Objetivos: Estudar a prevalencia da infeccao pelo Mycobacterium leprae e compara-la aos trabalhos publicados na literatura, bem como avaliar e comparar os metodos utilizados para a deteccao da infeccao. Metodos: Apos anestesiados, os tatus foram pesados, determinado o sexo, submetidos a exame clinico e coleta de fragmento de orelha para estudos histopatologicos (hematoxilina-eosina e Ziehl-Neelsen), imunohistoquimicos com anti-BCG, e fragmentos de orelha, pele, pata e lesao para a tecnica de PCR. Amostras de sangue foram coletadas para pesquisa de anticorpos anti-PGL-I pela tecnica ELISA e pesquisa de DNA de M.leprae atraves da tecnica de PCR. Vinte tres tatus foram necropsiados e fragmentos de figado, baco, cerebro, pulmao, rim e intestino foram obtidos para a tecnica de PCR. Resultados e Conclusoes: Nao foram evidenciados lesoes de hansenomas e apenas um tatu apresentou linfadenomegalia palpavel na regiao inguinal dentre os 52 tatus examinados. Nao foi evidenciado quadro histopatologico compativel com nenhuma das formas de hanseniase pela hematoxilina-eosina, e nao foi evidenciado presenca de BAAR pela tecnica de Ziehl-Neeisen, nem imunoexpressao do marcador BCG compativel com M.leprae. Foi detectada 10,6 por cento de soro-prevalencia de anticorpos IgM anti-PGL-I, e 11,9 por cento de positividade nas amostras de sangue, atraves da tecnica de PCR. Foi detectada 52,7 por cento de positividade nos fragmentos de tecidos (pele, orelha, lesao, pata, figado, baco, pulmao, cerebro, rim e intestino) atraves da tecnica de PCR. Dos tecidos testados, o cerebro foi o orgao onde mais se encontrou positividade pela tecnica de PCR (40,9 por cento), seguido da pele (22,2 por cento), orelha (20 por cento), pulmao (13,6 por cento), baco (13 por cento), pata (11,5 por cento), lesao (11,1 por cento), figado (8,7 por cento), rim (8,7 por cento) e intestino (4,5 por cento).O metodo diagnostico mais sensivel para deteccao de M.leprae foi o PCR dos tecidos, seguido do PCR do sangue e tecnica de ELISA
Palavra-chave Hanseníase
Reservatórios
Tatus
Ensaio de Imunoadsorção Enzimática
Reação em Cadeia da Polimerase
Idioma Português
Data de publicação 2003
Publicado em São Paulo: [s.n.], 2003. 150 p.
Publicador Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 150 p.
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Tese de doutorado
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/18627

Exibir registro completo




Arquivo

Arquivo Tamanho Formato Visualização

Não existem arquivos associados a este item.

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta