Efeito da restricao alimentar intrauterina sobre a resposta serotonergica hipotalamica a inGestão alimentar na prole adulta

Efeito da restricao alimentar intrauterina sobre a resposta serotonergica hipotalamica a inGestão alimentar na prole adulta

Título alternativo Effect of intrauterine food restrition on the hypothalamic serotonergic response to food intake in the offspring of rtas
Autor Porto, Laura Cristina Jardim Autor UNIFESP Google Scholar
Resumo Existem evidencias de que um ambiente alimentar adverso durante a vida intrauterma pode causar o que se convencionou chamar de programacao fetal do metabolismo. Esta hipotese preconiza uma origem fetal para as alteracoes que, perpetuando-se na vida adulta, determinariam a genese de patologias como obesidade e suas complicacoes associadas. O sistema nervoso central exerce um complexo controle sobre a homeostase energetica corporal. A serotonina hipotalamica tem participacao importante neste controle, atraves de seus efeitos de inibir a inGestão alimentar e estimular a termogenese. O presente estudo teve o objetivo de avaliar se uma restricao alimentar intrauterina afeta a fisiologia do sistema serotonergico hipotalamico na prole adulta. Ratas gestantes tiveram acesso livre ao alimento (grupo Controle) ou a apenas 50 por cento da inGestão das ratas controles durante as duas primeiras semanas de gestacao (grupo Restrito). Na terceira semana de gestacao e na lactacao, as ratas R tiveram a alimentacao pareada, recebendo 100 por cento da quantidade ingerida pelas ratas C. Aos 4 meses de idade, as ratas restritas nao apresentaram nenhuma alteracao da massa corporal, inGestão alimentar de 24 horas, glicemia e insulmemia basais. Entretanto a adiposidade corporal total das ratas restritas foi significantemente mais alta que a das ratas controles. Utilizando microdialise, avaliamos a liberacao de serotonma em resposta a inGestão de alimento, no nucleo ventromedial do hipotalamo. Observamos que as ratas restritas ingeriram mais alimento e que esta inGestão induziu uma liberacao de serotonina mais acentuada que nas ratas controles, dado compativel com a existencia de resistencia a acao do neurotransmissor liberado. Os dados indicam que a restricao alimentar intrauterina foi capaz de causar alteracoes que se verificaram na vida adulta, indicando uma programacao fetal. Uma possivel baixa efetividade da serotonina liberada poderia contribuir para a geracao de um excedente de energia, o qual seria depositado sob a forma de gordura
Palavra-chave Ingestão de Alimentos
Microdiálise
Serotonina
Ratos
Insuficiência Placentária
Idioma Português
Data de publicação 2003
Publicado em São Paulo: [s.n.], 2003. 69 p.
Publicador Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 69 p.
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Dissertação de mestrado
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/18547

Exibir registro completo




Arquivo

Arquivo Tamanho Formato Visualização

Não existem arquivos associados a este item.

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta