Hipóxia em fibroblastos humanos cultivados de derme normal e de quelóide

Hipóxia em fibroblastos humanos cultivados de derme normal e de quelóide

Título alternativo Hypoxia in cultivated human fibroblasts from normal dermis and keloid
Autor Keira, Sidney Mamoru Autor UNIFESP Google Scholar
Orientador Ferreira, Lydia Masako Autor UNIFESP Google Scholar
Instituição Universidade Federal de São Paulo [UNIFESP]
Pós-graduação Cirurgia Translacional – São Paulo
Resumo O presente estudo teve como objetivos comparar a origem dos fibroblastos humanos, derme normal ou queloide, em situacoes de normoxia e hipoxia, e comparar o efeito da hipoxia em fibroblastos humanos cultivados originados de derme normal e de queloide, atraves da mensuracao da biossintese de colageno. Os fibroblastos foram provenientes de derme normal (fragmentos cirurgicos de pele normal) e de queloide (fragmentos da regiao central de lesoes queloidianas) e foram mantidos em normoxia ou submetidos a uma sessao de hipoxia com uma mistura gasosa composta de nitrogenio e gas carbonico. Por outro lado, para a mensuracao do colageno produzido pelos fibroblastos, determinou-se uma sequencia de procedimentos fisico-quimicos de isolamento dos colagenos tipos I, II e III, no leito celular e no meio de cultura, atraves de reacao de precipitacao com sulfato de amonio, seguido de reacao de precipitacao cromogenica com o corante Sirius Red e finalizado com a mensuracao es pectrofotometrica da biossintese desta proteina. Os resultados submetidos a analise estatistica evidenciaram que a hipoxia, de forma isolada, nao alterou a biossintese de colageno. Contudo, observou-se que os fibroblastos derivados de queloide apresentaram uma biossintese de colageno maior do que os derivados de derme normal, quando mantidos em normoxia ou quando submetidos a hipoxia
Palavra-chave Técnicas de cultura de células
Fibroblastos
Anóxia
Quelóide
Colágeno
Idioma Português
Data de publicação 2003
Publicado em KEIRA, Sidney Mamoru. Hipóxia em fibroblastos cultivados de derme normal e de quelóide. 2003. 140 f. Tese (Doutorado) - Escola Paulista de Medicina, Universidade Federal de São Paulo. São Paulo, 2003.
Publicador Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 140 p.
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Tese de doutorado
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/18530

Exibir registro completo




Arquivo

Nome: Tese-7686.pdf
Tamanho: 1.113MB
Formato: PDF
Descrição:
Abrir arquivo

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta