Acao da melatonina na epilepsia do lobo temporal: estudo atraves do modelo experimental induzido por pilocarpina

Acao da melatonina na epilepsia do lobo temporal: estudo atraves do modelo experimental induzido por pilocarpina

Título alternativo Effects of melatonin on the temporal lobe epilepsy: study thought the experimental model induced by pilocarpine
Autor Rodrigues, Eliangela de Lima Autor UNIFESP Google Scholar
Resumo objetivo: Estudar o efeito da pinealectomia no desenvolvimento do modelo de epilepsia induzido por pilocarpina, em ratos machos adultos, atraves de analise comportamental e morfologica. Metodos: Os animais foram divididos em sete grupos: SALINA, SH+S (falso-operado + salina), PNTX+S (pinealectomizado + salina), PILO (pilocarpina), SH+P (falso-operado + pilocarpina), PNTX+P (pinealectomizado + pilocarpina) e PNTX+P+M (pinealectomizado + pilocarpina + melatonina). A pilocarpina (350mg/Kg) foi administrada em animais submetidos ao procedimento cirurgico SH+P, PNTX+P, PNTX+P+M ou nao PILO. 0 comportamento desses animais foi monitorado 24h/dia durante 60 dias consecutivos. 0 estudo morfologico foi realizado na fase aguda e cronica do modelo. Para o estudo da fase aguda, os animais dos grupos experimentais foram sacrificados 48 h apos o SE , seguindo o protocolo de TUNEL para identificacao de celulas apoptoticas. Para o estudo da fase cronica os animais foram sacrificados 60 dias apos a primeira crise espontanea e o metodo de Nissl e neo-Timm foram utilizados respectivamente para analise da morte neuronal e brotamento das fibras musgosas. Resultados: Os resultados mostraram que houve uma piora nos aspectos comportamentais dos animais do grupo PNTX+P, os quais apresentaram uma diminuicao do periodo silencioso e um aumento no numero de crises na fase cronica, comparados com os demais grupos. Alem disso, esses animais apresentaram um maior numero de celulas em apoptose (fase aguda), maior lesao celular e um maior grau de brotamento das fibras musgosas (fase cronica). Por outro lado, os animais do grupo PNTX+P+M apresentaram uma diminuicao significativa da morte celular por apoptose. Conclusoes: Os dados obtidos em nosso estudo demonstram que: 1) a pinealectomia provoca um aumento na excitabilidade neuronal e uma facilitacao do processo epileptogenico no modelo de epilepsia induzido por pilocarpina, 2) o tratamento com melatonina protege os neuronios da morte celular por apoptose apos o insulto excitotoxico (SE). De acordo com esses dados, a perda da melatonina como fator de protecao intensifica o processo epileptogenico nos animais submetidos ao modelo experimental de epilepsia induzido por pilocarpina
Palavra-chave Epilepsia
Pilocarpina
Melatonina
Apoptose
Hipocampo
Idioma Português
Data de publicação 2003
Publicado em São Paulo: [s.n.], 2003. 101 p.
Publicador Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 101 p.
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Dissertação de mestrado
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/18482

Exibir registro completo




Arquivo

Arquivo Tamanho Formato Visualização

Não existem arquivos associados a este item.

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta