Avaliacao diagnostica e resposta terapeutica ao corticosteroide inalatorio em pacientes com diagnostico clinico de tosse cronica de causa inaparente

Avaliacao diagnostica e resposta terapeutica ao corticosteroide inalatorio em pacientes com diagnostico clinico de tosse cronica de causa inaparente

Título alternativo Diagnostic evaluation and clinical trial with inhaled corticosteroid in patients with clinical diagnosis for chronic cough without apparent cause
Autor Ribeiro, Marcos Autor UNIFESP Google Scholar
Resumo Introdução: Tosse cronica sem causa aparente e comum e decorre de afeccao de vias aereas superiores, de hiperresponsividade bronquica ou de refluxo gastroesofageano em mais de 90 por cento dos casos. Testes de broncoprovocacao (TAIPE sao aplicados para avaliacao desta condicao com valor preditivo positivo e negativo insuficiente. Objetivo: Realizar uma avaliacao diagnostica atraves de um questionario respiratorio, de testes broncoprovocacao e de testes cutaneos e a resposta a um ensaio terapeutico com corticosteroide inalatorio em pacientes com diagnostico clinico de tosse cronica de causa inaparente. Metodos: Foram avaliados apos exclusao de causas extrapulmonares como rinossinusite e refluxo gastroesofagico 64 pacientes de forma prospectiva, aleatorizada, duplocega e paralela por 14 dias. Foi utilizado tratamento com beclometasona inalatoria 1500mg/dia para 44 pacientes (Grupo 1) e placebo na forma inalatoria para 20 pacientes (Grupo 2). Questionario respiratorio, TBP com adenosina e metacolina, curvas inspiratorias e expiratorias e teste cutaneo foram comparados nos dois grupos e a resposta ao tratamento foi avaliada atraves de dois diarios de sintomas. Resultados: Nao houve diferencas para o questionario respiratorio, os TBP, testes cutaneos e o ensaio terapeutico tanto para o Grupo 1 quanto para o Grupo 2. Posteriormente os pacientes que utilizaram tratamento com corticosteroide (Grupo 2) foram separados em : Grupo 3 ou nao respondedores ao tratamento (n=8) e Grupo 4 ou respondedores ao tratamento (n=36). O questionario respiratorio nao mostrou correlacao com a resposta favoravel ao tratamento para a maioria das perguntas nos Grupos 3 e 4. Entretanto a duracao da tosse em meses (p < 0,032) e o uso de medicamentos nas ultimas semanas ou meses (p < 0,001) no Grupo 4 foram significativamente menores. Os testes de broncoprovocacao, independentemente da substancia utilizada, foram semelhantes quanto ao resultado na identificacao dos casos. Nos pacientes com TBP positivo, ou seja, nos portadores de tosse variante de asma, houve melhora dos sintomas em 95 por cento (n=21) dos casos com o tratamento. Por outro lado, nos pacientes com teste de broncoprovocacao negativo, ou seja, nos possiveis portadores de bronquite eosinofilica houve resposta ao tratamento em 68 por cento (n=15) dos casos. Quando analisamos apenas a resposta ao tratamento, independentemente da doenca subjacente (tosse variante de asma ou possivel ...(au)
Palavra-chave Asma
Tosse
Bronquite
Idioma Português
Data de publicação 2003
Publicado em São Paulo: [s.n.], 2003. 131 p.
Publicador Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 131 p.
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Tese de doutorado
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/18479

Exibir registro completo




Arquivo

Arquivo Tamanho Formato Visualização

Não existem arquivos associados a este item.

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta