Repercussoes maternas e perinatais da infeccao por malaria falciparum durante a gestacao

Repercussoes maternas e perinatais da infeccao por malaria falciparum durante a gestacao

Título alternativo Consequences of falciparum malaria on the mother and the fetus during pregnancy
Autor Siqueira, Margareth Menezes Autor UNIFESP Google Scholar
Resumo O objetivo principal deste estudo foi avaliar as repercussoes maternas e perinatais da infeccao por malaria falciparum. Os eventos maternos analisados incluiram a ocorrencia de abortamentos, obitos e porcentagem de cesariana. Foram estudados os seguintes efeitos sobre o concepto: a ocorrencia de prematuridade, de baixo peso ao nascer e de obitos fetais e neonatais. Nosso grupo de estudo era constituido por 49 gestantes sem outras patologias clinicas ou obstetricas, que tiveram o diagnostico de malaria falciparum confirmado atraves da identificacao do parasita no sangue periferico pelo metodo de Giensa, e estiveram internadas no Hospital de Base de Rondonia, no periodo de janeiro de 1993 a julho de 1998. Esse grupo foi comparado com as primeiras 56 gestantes normais que tiveram suas internacoes registradas no Hospital de Base de Rondonia a partir do mes de abril de 1995, tendo sido este periodo determinado atraves de sorteio. Observamos altas taxas de abortamentos (6,12 por cento), partos operatorios (19,57 por cento), obito materno (2,04 por cento), obitos fetais (6,52 por cento) e obitos, neonatais (4,35 por cento), nas gestantes com malaria mas essas, taxas nao foram estatisticamente significativas se comparadas com os resultados de nosso grupocontrole, no qual registramos 10,70 por cento de episodios de abortamentos, 24 por cento de cesareas, 2º/a de natimortos e nenhum caso de obito materno ou neonatal. Quando comparamos nosso grupo de gestantes portadoras de malaria falciparum com nosso grupo de gestantes normais que compuseram nosso grupo-controle, observamos uma incidencia significativamente maior de nascimentos de conceptos prematuros (28,26 por cento) e debaixo peso (32,60 por cento) no grupo da infeccao por malaria falciparum do que no grupo-controle, que apresentou 4 por cento de recem-nascidos prematuros e 6 por cento de recem-nascidos de baixo peso. Concluiu-se que nao houve diferenca estatisticamente significativa na ocorrencia de abortamentos, partos operatorios, morte maternal, fetal e neonatal quando comparamos os dois grupos. Comprovamos maior frequencia estatisticamente siginificativa de recem-nascidos prematuros e recem-nascidos de baixo peso no grupo portador de infeccao por malaria falciparum do que no grupo de gestantes normais
Palavra-chave Malária Falciparum
Recém-Nascido de Baixo Peso
Idioma Português
Data de publicação 2001
Publicado em São Paulo: [s.n.], 2001. 51 p.
Publicador Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 51 p.
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Dissertação de mestrado
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/18424

Exibir registro completo




Arquivo

Arquivo Tamanho Formato Visualização

Não existem arquivos associados a este item.

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta