Dor facial e dor facial sintomatica: caracterizacao diferencial quanto a apresentacao clinica

Dor facial e dor facial sintomatica: caracterizacao diferencial quanto a apresentacao clinica

Título alternativo Atypical facial pain and symptomatic facial pain: differential characterzation as for the clinical presentation
Autor Nobrega, Jose Claudio Marinho da Autor UNIFESP Google Scholar
Resumo Objetivo: Caracterizar uma amostra de doentes com historico de dor facial atipica, avaliar comparativamente dados dos historicos de doentes com dor facial atipica e dor facial sintomatica e analisar a ocorrencia de anormalidades psicologicas em doentes com historico de dor facial atipica. Metodo: Identificacao e categorizacao de aspectos da dor, exame clinico e exames laboratoriais e radiologicos (hematologicos, bioquimicos, radiografia do cranio, coluna cervical, mandibula, articulacao temporo-mandibular, tomografia computadorizada do cranio) de 41 doentes com historico de DFA. Resultados: o diagnostico foi DFA em 21 (51,2 por cento) doentes e DFS em 20 (48,8 por cento). Era do sexo feminino 80,0 por cento dos casos de DFS e 57,1 por cento dos de DFA. Disfuncao temporo-mandibular (DTM)desdentado foi o diagnostico em 25,0 por cento dos casos de DFS, neuropatia iatrogenica em 20,0 por cento, DTMdoenca sistemica em 15,0 por cento, outras DTMs em 15,0 por cento e sindrome de Wallemberg em 10,0 por cento; carcinoma de lingua, tumor intracraniano ou ardencia bucal foram diagnosticados, respectivamente, em um (5,0 por cento) doente. DFA foi mais prevalente (28,6 por cento) nos doentes com 41 a 50 anos e 61 a 70 anos de idade e DFS nos com 41 a 50 anos (30,0 por cento). Latejamento (76,2 por cento), aperto (57,1 por cento) e ou queimor (52,4 por cento) foram os descritores mais empregados pelos doentes com DFA e latejamento (60,0 por cento), queimor (45,0 por cento) e ou pontada (35,0 por cento) pelos doentes com DFS. A dor localizou-se a esquerda em 42,8 por cento dos casos de DFA e em 50,0 por cento dos de DFS e no territorio do segundo ramo do nervo trigemeo em 38,2 por cento doentes com DFA e do terceiro ramo em 25,0 por cento dos com DFS. Foi intensa (EVA >_ 7) em 71,4 por cento doentes com DFA e em 85,0 por cento dos com DFS e apenas constante em 74,9 por cento e 72,8 por cento dos doentes, respectivamente. Lacrimejamento havia sido relatado por 28,6 por cento doentes com DFA e em 25,0 por cento dos com DFS. Em 4,8 por cento dos...(au)
Palavra-chave Dor Facial
Idioma Português
Data de publicação 2002
Publicado em São Paulo: [s.n.], 2002. 143 p. tab.
Publicador Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 143 p.
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Tese de doutorado
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/18319

Exibir registro completo




Arquivo

Arquivo Tamanho Formato Visualização

Não existem arquivos associados a este item.

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta