A imunossupressao sistemica do transplantado renal inibe a hiperplasia intimal coronaria intra-stent: analise volumetrica com ultra-sonografia intracoronaria

A imunossupressao sistemica do transplantado renal inibe a hiperplasia intimal coronaria intra-stent: analise volumetrica com ultra-sonografia intracoronaria

Título alternativo SWystemic immunosuppression inhibits coronary in-stent intimal hyperplasia in renal patients: a volumetric intravascular ultrasound study
Autor Arruda, Jose Airton de Autor UNIFESP Google Scholar
Resumo Fundamento: A reestenose permanece a mais importante limitacao associada ao implante de stents coronarios. Objetivo: Investigar o efeito da imunossupressao sistemica na proliferacao intimal em transplantados renais que receberam implante de stents coronarios. Metodos e resultados: Foram reestudados, atraves de angiografia e ultra-sonografia coronaria com reconstrucao tridimensional, 13 pacientes transplantados de rim previamente submetidos a implante de stents. Como parte da terapia imunossupressora para prevencao de rejeicao ao enxerto, 11 pacientes estavam tomando ciclosporina, prednisona e azatioprina. Um paciente estava recebendo a combinacao de ciclosporina, micofenolato mofetil e prednisona. 0 outro recebia apenas azatioprina e prednisona. Nove pacientes (69,2 por cento) estavam no curso de sindromes coronarias agudas na epoca da intervencao e cinco tinham diabetes mellitus (38,4 por cento). A mediana do tempo de imunossupressao ate o implante dos stents foi 33 meses. 0 nivel serico medio da ciclosporina na epoca da intervencao foi 129 n 49 ng/ml. 0 tempo medio decorrido entre o implante dos stents e o reestudo foi 13,6 n 8 meses. Dez pacientes foram reestudados por angiografia e nove deles por ultrasonografia intracoronaria. Todos os pacientes estavam livres de eventos cardiacos adversos maiores e da revascularizacao da lesao alvo. Em um paciente diabetico insulino-dependente, que foi tratado com estreptoquinase E.V. cinco dias antes da intervencao, foi observado oclusao do stent. Nos demais nove pacientes nao se observou reestenose. A perda tardia da luz a angiografia foi 0,25 n 0,60 mm. Foi observada minima hiperplasia intimal intra-stent atraves da ultra-sonografia intracoronaria (15.8 n 10.3 mm3), com obstrucao relativa intra-stent de apenas 9,0 n 4,3 por cento. Conclusoes: Este estudo observacional indica que a imunossupressao para...(au)
Assunto Imunossupressão
Stents
Transplante de Rim
Hiperplasia
Idioma Português
Data 2002
Publicado em São Paulo: [s.n.], 2002. 133 p. ilustab.
Editor Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 133 p.
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Tese de doutorado
URI http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/18237

Mostrar registro completo




Arquivos deste item

Arquivos Tamanho Formato Visualização

Não existem arquivos associados a este item.

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(s)